Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsas dos EUA cedem terreno com decepção no sector dos serviços

Desde 2005 que Wall Street não fechava as três primeiras sessões do ano em baixa. O crescimento no sector dos serviços em Dezembro foi mais lento do que o previsto, o que desapontou os investidores.

Sara Antunes saraantunes@negocios.pt 06 de Janeiro de 2014 às 21:20
  • Partilhar artigo
  • 5
  • ...

Os principais índices bolsistas dos EUA fecharam a sessão a cair, num dia marcado pela divulgação de um dado económico que frustrou as expectativas dos investidores. Foi a terceira sessão consecutiva no vermelho, a mais longa série de recuos num início de ano desde 2005.

 

O índice que mede a actividade do sector dos serviços recuou de 53,9 pontos para 53, entre Novembro e Dezembro. Os economistas consultados pela Bloomberg estimavam uma subida média para os 54,7 pontos.

 

Este indicador assume maior relevância porque este sector representa cerca de 90% da economia. Ainda assim, o sector continua a crescer, uma vez que as leituras acima dos 50 pontos representam expansão. 

 

O Dow Jones encerrou a desvalorizar 0,27% para 16.425,10 pontos, o S&P 500 perdeu 0,3% para 1.826,76 pontos e o tecnológico Nasdaq recuou 0,44% para se fixar nos 4.113,68 pontos.

 

Ainda assim, os principais índices conseguiram reduzir parte das perdas depois de o vice-chairman da unidade de serviços de consultoria do Blackstone Group, Byron Wein, ter estimado um crescimento da economia dos Estados Unidos superior a mais de 3% para este ano.

 

Em destaque pela negativa estiveram as acções do Twitter, ao caírem 3,93% para 66,29 dólares, depois de o Morgan Stanley ter emitido uma nota de análise onde considera que a rede social de micromensagens poderá perder receitas de publicidade para rivais como o Facebook.

 

Do lado dos ganhos, as acções da Verizon somaram 0,56% para 48,69 dólares, depois de a T-Mobile ter acordado comprar frequências radioeléctricas, que permitem ligações móveis, à Verizon por cerca de 2,4 mil milhões de dólares.

 

A condicionar a negociação bolsista estará nas próximas semanas a apresentação de resultados das cotadas. O tiro de partida será dado pela Alcoa, que deverá apresentar os seus resultados do quarto trimestre no dia 9 de Janeiro. Os analistas consultados pela Bloomberg estimam que os lucros das cotadas do S&P500 tenham aumentado 5,2% no último trimestre do ano.

Ver comentários
Saber mais Wall Street bolsas EUA Nasdaq S&P 500 Dow Jones
Outras Notícias