Bolsa Bolsas europeias afundam com investidores receosos sobre perspectivas de crescimento

Bolsas europeias afundam com investidores receosos sobre perspectivas de crescimento

As principais praças do Velho Continente estão a afundar mais de 2%, numa altura em que os investidores não se mostram seguros quanto à evolução global da economia. A bolsa de Atenas é a mais penalizada, estando a cair mais de 8%, penalizada pelo sector bancário.
Bolsas europeias afundam com investidores receosos sobre perspectivas de crescimento
Bloomberg
Inês F. Alves 08 de fevereiro de 2016 às 14:09

Com 587 cotadas a cair, duas inalteradas e apenas 11 a subir, o Stoxx 600 recua 2,65% para os 317,27 pontos. Esta tendência é acompanhada pelo índice espanhol IBEX, que perde 3,14% para os 8.232,80 pontos, pelo germânico DAX que cai 2,88% para os 9.019,03 pontos e o AEX de Amesterdão, que recua 3,02% para os 401,42 pontos. Já o principal índice grego FTASE mergulha 8,76%.

A praça portuguesa não está imune a esta tendência. Com 15 cotadas em queda e apenas duas a somar, o PSI-20 segue a cair 2,03% para os 4.809,18 pontos, penalizado pela Nos, pela Jerónimo Martins e pelos CTT. A empresa de telecomunicações cai 4,01% para negociar nos 6,029 euros por acção. A retalhista perde 2,01% para os 12,425 euros e os CTT recuam 3,68% para os 7,504 euros.


"Os investidores não conseguem decidir-se sobre a economia global, mas os riscos de recessão e de deflação aumentam", diz François Savary, analista da Prime Partners, citado pela Bloomberg.

Recorda a agência que as bolsas recuaram a semana passada, devendo-se a volatilidade dos mercados aos receios dos investidores relativamente à evolução dos preços do petróleo, aos resultados das empresas e às preocupações em torno da evolução da economia chinesa e norte-americana.

Esta segunda-feira, o instituto alemão Sentix informou no seu relatório mensal que o índice que mede o sentimento dos investidores caiu para o valor mais baixo em mais de um ano em Fevereiro. As expectativas dos investidores sobre a Zona Euro e a economia internacional tocaram novos mínimos. O sentimento negativo é justificado pela acção da Reserva Federal norte-americana e pela queda do petróleo.


O Brent negociado em Londres e preço de referência para a Europa segue a cair 1,56% para negociar nos 33,53 dólares por barril. Já o West Texas Intermediate, negociado em Nova Iorque, cai 1,97% para os 30,22 dólares por barril, mas já esteve abaixo dos 30 dólares.

Como reflexo da falta de confiança, o Stoxx 600, que recua mais de 2%, encaminha-se para a sexta sessão consecutiva de perdas.

A praça grega é a mais penalizada pelo sentimento negativo dos investidores, estando a cair mais de 8%. Com crescentes preocupações sobre a volatilidade dos mercados globais e numa altura em que a negociação de mais medidas de austeridade para desbloquear uma nova tranche do resgate grego está em curso, os investidores optam por abandonar activos considerados de maior risco. Os bancos gregos, que já perderam grande parte do seu valor de mercado, afundaram 20% esta segunda-feira, o maior recuo desde Novembro, escreve a Bloomberg.

O Governo grego continua a negociar com os credores a implementação de medidas de austeridade adicionais, com especial enfoque na reestruturação do sistema de pensões. Enquanto isto, agricultores, trabalhadores independentes e outros protestam nas ruas de Atenas contra as medidas propostas para o sistema de segurança social.

Escreve a Bloomberg que os representantes do Fundo Monetário Internacional, do Banco Central Europeu e da Comissão Europeia e do Fundo de Estabilidade Europeu deixaram Atenas na sexta-feira, numa semana em que os credores iniciaram a primeira avaliação trimestral ao cumprimento do memorando com um atraso de mais de três meses face ao inicialmente programado.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI