Research BPI: BCP terá registado lucros de 131 milhões até Setembro

BPI: BCP terá registado lucros de 131 milhões até Setembro

O aumento de receitas, o corte de custos com pessoal e a redução de provisões e imparidades deverá levar o BCP a reportar lucros de 131 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, prevê o BPI.
BPI: BCP terá registado lucros de 131 milhões até Setembro
Bruno Simão
Sara Antunes 02 de novembro de 2017 às 09:38

O BPI estima que o BCP tenha fechado os primeiros nove meses do ano com um lucro de 131 milhões de euros, o que compara com o prejuízo de 251 milhões de euros reportado há um ano, de acordo com uma nota de análise emitida esta quinta-feira, 2 de Novembro, a que o Negócios teve acesso.

 

A contribuir para a melhoria dos resultados estará o aumento das receitas do banco liderado por Nuno Amado, com a margem financeira a aumentar 13% para um total de 1,02 mil milhões de euros e as comissões a crescerem 3% para 494 milhões de euros.

 

Já os custos com pessoal terão baixado 7%, ao mesmo tempo que as imparidades do crédito terão diminuído 47% para 459 milhões e as provisões terão recuado 31% para 167 milhões de euros.

 

Por unidades, apenas Moçambique deverá registar um aumento dos lucros (12% para 58 milhões de euros). Já Portugal continuará a dar prejuízo, ainda que muito reduzido (um milhão). Na Polónia prevê-se uma queda de 10% dos lucros para 118 milhões de euros. As "outras" divisões, que inclui Angola, terão registado um prejuízo de 44 milhões de euros.

 

Quanto ao rácio de solvabilidade, o BPI prevê que o BCP tenha fechado Setembro com um CET1 de 11,4%, o que corresponde a uma melhoria face aos 9,5% reportados um ano antes e aos 11,3% registados em Junho.

 

O BCP apresenta os seus resultados dos primeiros nove meses do ano no próximo dia 13 de Novembro.

 

O BPI avalia o BCP em 0,33 euros, o que confere às acções um potencial de valorização de 28,76% face à actual cotação (0,2563 euros). A recomendação é de "comprar".

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.