Research BPI corta avaliação da Galp após aumento do investimento

BPI corta avaliação da Galp após aumento do investimento

O aumento do dividendo não foi suficiente para compensar a decepção com os valores que a Galp Energia pretende investir nos próximos anos. O novo preço-alvo incorpora um potencial de subida de 6,4%.
Nuno Carregueiro 21 de fevereiro de 2018 às 08:58

O BPI reviu em baixa a avaliação das acções da Galp Energia, de 15,80 euros para 15,60 euros, em reacção às novas metas definidas pela companhia no Capital Markets Day, onde a petrolífera actualizou as metas do seu plano estratégico.

 

A recomendação continua a ser de "neutral", sendo que o novo preço-alvo incorpora um potencial de subida de 6,4%.

 

Numa nota de research a que o Negócios teve acesso, os analistas do BPI reiteram a decepção com o facto de a Galp Energia não ter revisto em baixa as metas para o investimento operacional ("capex").

 

A companhia liderada por Carlos Gomes da Silva estima investir mil milhões de euros por ano em média até 2020, acima do intervalo de 800 a mil milhões de euros definido no anterior CMD. Os analistas do BPI contavam com uma revisão em baixa deste indicador.  

 

"Incorporamos os resultados de 2017, elevamos as nossas estimativas para o capex e para as margens de refinação", o que resultou no corte da avaliação, explicam os analistas Flora Trindade e Bruno Silva.

 

Acrescentam que o "CMD trouxe um aumento de 10% no dividendo, mas não conseguiu cumprir as nossas expectativas nas poupanças do capex". E "embora a gestão tenha explicado as dinâmicas do capex, acreditamos que o mercado possa precisar de algum tempo para digerir e ver os retornos" da estratégia.  

 

O plano da Galp foi apresentado antes da abertura da sessão de ontem e as acções chegaram a afundar mais de 4%. Recuperaram até ao final da sessão para fecharem apenas em queda ligeira. Esta quarta-feira voltam a cair de forma ligeira para 14,67 euros.

 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




pub