Research BPI: Galp tem "margem para aumentar" dividendo

BPI: Galp tem "margem para aumentar" dividendo

As perspectivas positivas para a área de Exploração e Produção da Galp deverão dar uma folga suficiente à empresa para esta suportar um aumento do dividendo, projectam os analistas do BPI.
BPI: Galp tem "margem para aumentar" dividendo
João Santos
Ana Batalha Oliveira 07 de dezembro de 2018 às 11:27

O BPI aponta para que um crescimento da produção da Galp permita mais dinheiro em caixa e, desta forma, crie margem para um aumento dos dividendos. "Vemos margem para uma melhoria na remuneração accionista", escrevem os analistas, numa nota publicada esta sexta-feira, 7 de Dezembro.

O crescimento anual de 25% no EBITDA da área de Exploração e Produção, entre 2017 e 2021, sustenta a folga que poderá ser usada para aumentar os dividendos distribuídos pela Galp.  A remuneração dos accionista subiu 10% em 2017, comparado com o ano anterior, cifrando-se nos 55 cêntimos por acção. 

O aumento para lá desta fasquia está "dependente da dimensão dos possíveis investimentos", os quais o BPI vê a acontecer ao ritmo de mil milhões por ano até 2020, em linha com as metas avançadas pela empresa. Cerca de três quartos do investimento deverão destinar-se à área de exploração e produção, com os analistas a contarem com a continuidade do investimento no Brasil, dadas as licitações já planeadas.  

O BPI aponta para uma estabilização do "dividend yield" nos 3,7%.

Num cenário de 50 dólares por barril do Brent, as previsões apontam para "um nível confortável de excesso de cash flow que poderia ser devolvido aos accionistas", comenta o BPI.  As cotações de petróleo têm estado sobre forte pressão, tendo a matéria-prima desvalorizado mais de 20 dólares por barril desde o pico de Outubro, para agora negociar em torno dos 60 dólares. A reunião desta sexta-feira entre os membros da OPEP+ deverá dar mais pistas sobre a evolução das cotações, com a possibilidade de cortes na produção ainda em aberto.

A casa de investimento decidiu, contudo, manter inalterado o preço-alvo, em 17,10 euros, e a recomendação em "neutral". Estas previsões conferem aos títulos um potencial de valorização de quase 20% comparativamente ao valor de fecho da última sessão. A Galp tem historicamente, negociado com um prémio relativamente às pares, mas o este "diminuiu significativamente nos últimos anos", salienta o BPI, referindo também a recente estagnação do preço das acções.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




pub