Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BPI corta "target" da Sonaecom para 3,60 euros

O BPI reviu em baixa a avaliação das acções da Sonaecom, na sequência dos resultados "pobres" no primeiro semestre do ano. O "target" para o final deste ano era de 4 euros e passou agora para 3,60 euros para o final de 2009. A recomendação continua a ser de "comprar" devido ao potencial de envolvimento em fusões & aquisições e à possibilidade da Sonae SGPS retirar a empresa de bolsa.

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 30 de Julho de 2008 às 15:40
  • Assine já 1€/1 mês
  • 5
  • ...
O BPI reviu em baixa a avaliação das acções da Sonaecom, na sequência dos resultados “pobres” no primeiro semestre do ano. O “target” para o final deste ano era de 4 euros e passou agora para 3,60 euros para o final de 2009. A recomendação continua a ser de “comprar” devido ao potencial de envolvimento em fusões & aquisições e à possibilidade da Sonae SGPS retirar a empresa de bolsa.

Numa nota de “research” com data de hoje, o BPI refere que os resultados do primeiro semestre apresentados pela Sonaecom foram “pobres” e abaixo das estimativas do banco, reflectindo várias tendências negativas, como a desaceleração do consumo, o aumento da concorrência, custos de “marketing” mais elevados e aumento da subsidiação nos telemóveis.

A Sonaecom, devido à decisão da Anacom sobre as tarifas de terminação, reviu em baixa a sua previsão de EBITDA para este ano, de 162 para 154 milhões de euros.

Ainda assim, o BPI diz que estas previsões continuam a ser muito optimistas (a Sonaecom teria que a aumentar o EBITDA em 13% no segundo semestre), pelo que antecipa que a empresa liderada por Ângelo Paupério registará um crescimento de apenas 8% no EBITDA da segunda metade do ano.

“Dado o ‘outlook’ para a economia portuguesa, o ambiente de concorrência intenso, as metas de crescimento da Sonaecom à custa da rentabilidade no curto prazo, bem como o desempenho registado este ano, vemos estas estimativas como muito optimistas”.

Os cortes efectuados nas estimativas levaram o BPI a baixar a avaliação das várias unidades da Sonaecom. O valor da Optimus foi revisto em baixa de 18% e o da Sonaecom fixo em 19%.

A avaliação total da Sonaecom baixou em 20%, de 3,79 para 3,04 euros por acção, o que equivale a um corte no preço-alvo de 4 para 3,20 euros (devido à atribui de uma probabilidade de 30% a uma fusão entre a empresa e a Zon).

Contudo, o BPi alterou o espaço temporal da avaliação de 2008 para o final de 2009, o que resulta numa subida do preço-alvo para 3,60 euros, apesar do reconhecimento de pressões a curto prazo sobre as acções.

Além disso, com as acções a negociarem em redor dos 2 euros, o BPI adianta que a “Sonae SGPS pode tentar retirar a Sonaecom de bolsa”, possibilidade que aumenta o cenário de fusões e aquisições.

A recomendação continua a ser de “comprar”.





Ver comentários
Outras Notícias