Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BPI prevê lucros de 36 milhões de euros para o BES no terceiro trimestre

O BES é o "veículo perfeito para tirar partido de uma 'eventual' recuperação da economia portuguesa", na opinião da unidade de investimento do BPI. O BPI Equity Research mantém uma "posição positiva" sobre o banco liderado por Ricardo Salgado.

Diogo Cavaleiro diogocavaleiro@negocios.pt 26 de Outubro de 2012 às 11:44
A casa de investimento do BPI prevê que o BES consiga alcançar um resultado líquido de 36 milhões de euros no terceiro trimestre de 2012, graças ao ganhos com a negociação da carteira soberana. O lucro compara com um prejuízo de 7 milhões de euros no período homólogo.

Os números do trimestre acabam por aliviar a descida dos resultados que o banco presidido por Ricardo Salgado regista até Setembro. O BPI Equity Research estima resultados de 61 milhões de euros entre Janeiro e Setembro de 2012, 64% abaixo do registado no mesmo período do ano passado.

A nível trimestral, a antecipação aos resultados do BES por parte da casa de investimento do BPI mostra uma contracção de 3% da margem financeira, “conduzida pela compressão das margens tanto nas actividades domésticas como internacionais”.

“Em Portugal, a margem financeira será penalizada pela queda das taxas de juro de referência durante o trimestre, menores volumes de crédito e a possível redução da carteira de dívida soberana do banco”, escrevem os analistas Carlos Peixoto e Tiago Veiga Anjos.

Para a casa de investimento do BPI, o concorrente BES vai aproveitar os ganhos de capital obtidos pela carteira soberana para elevar as provisões, “em antecipação à esperada deterioração da economia portuguesa nos próximos trimestres”. O aumento previsto das provisões é de 41% em termos homólogos e de 14% na análise em cadeia.

Ao contrário do que acontece nas suas previsões para o BCP, em que a postura face à acção é “conservadora”, o BPI Equity Research mantém uma “posição positiva” sobre o BES.

Os especialistas da unidade de investimento do BPI apontam vários motivos para essa posição positiva em relação aos resultados do BES, entre os quais o facto de ser capaz de cumprir as exigências de capital das reguladoras sem ter de recorrer a fundos públicos ou o facto de a acção estar a negociação a um desconto superior a 20% face aos pares europeus e nacionais. O BPI atribui um potencial de valorização de 18% ao banco de Ricardo Salgado, já que este negoceia nos 0,762 euros (ao cair 0,78%) e o preço-alvo antecipado pelo banco é de 0,90 euros. A recomendação é de “comprar”.

“O seu capital sólido combinado com uma forte presença no segmento empresarial fazem do BES o veículo perfeito para tirar partido de uma “eventual” recuperação da economia portuguesa”, considera ainda o BPI no seu comentário.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.

Ver comentários
Saber mais BES Ricardo Salgado BPI research
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio