Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BPI regressa à negociação a disparar mais de 25%

As acções do BPI foram suspensas pela CMVM antes da abertura do mercado, depois de ter sido comunicado o anúncio preliminar da OPA do CaixaBank sobre o BPI. Voltaram à negociação com uma valorização superior a 25%.

25.º - Fernando Ulrich 
BPI perdeu autonomia após recurso a capitais do Estado. Ulrich apressa no entanto fim dessa dívida.
Bruno Simão/Negócios
Rita Faria afaria@negocios.pt 17 de Fevereiro de 2015 às 10:40
  • Assine já 1€/1 mês
  • 6
  • ...

Depois de terem sido suspensas pela Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) antes da abertura do mercado, as acções do BPI voltaram a negociar às 9h30 com uma forte valorização.

 

Os títulos do banco liderado por Fernando Ulrich disparam 25,7% para 1,311 euros, aproximando-se do valor oferecido pelo CaixaBank na Oferta Pública de Aquisição (OPA) confirmada esta terça-feira: 1,329 euros por acção. A oferta está assim apenas 1,3% acima da cotação actual dos títulos. Desde que regressaram à negociação em bolsa, dispararam um máximo de 26,56%.

 

Em apenas uma hora, já trocaram de mãos mais de oito milhões de acções do BPI, quando a média diária dos últimos seis meses não vai além dos 2,8 milhões.

 

Os títulos do BPI sobem pela quarta sessão consecutiva, período em que acumularam uma valorização de 43,1%.

 

Esta terça-feira às seis horas de Lisboa, foi comunicado o anúncio preliminar da OPA do CaixaBank sobre o BPI. De imediato, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) deliberou a suspensão da negociação das acções do Banco BPI, "de modo a permitir aos investidores a análise do comunicado divulgado ao mercado sobre a sociedade emitente".

 

A OPA é sobre a totalidade do capital, mas o CaixaBank estabelece como condição de eficácia da OPA a obtenção de mais de 50% do BPI. O que significa que o banco espanhol pretende adquirir mais de 5,9% das acções nesta oferta, "de modo que, somado às acções da sociedade visada detidas pelo oferente na presente data, o oferente seja titular de acções representativas de mais de 50% (cinquenta por cento) do capital social da sociedade visada, após a liquidação da oferta", lê-se no anúncio preliminar divulgado esta terça-feira, 17 de Fevereiro.

 

A oferta fica ainda dependente da mudança estatutária do BPI para que sejam eliminadas as limitações de direitos de votos. O BPI tem uma limitação de votos a 20% do capital.

Ver comentários
Saber mais Comissão de Mercado de Valores Mobiliários BPI Fernando Ulrich mercado e câmbios economia negócios e finanças bolsa Oferta Pública de Aquisição Comissão do Mercado de Valores Mobiliários Banco BPI
Outras Notícias