Obrigações Brisa paga pouco mais de 2% para emitir 300 milhões em dívida

Brisa paga pouco mais de 2% para emitir 300 milhões em dívida

A concessionária aproveitou o contexto positivo para a dívida das empresas europeias para se financiar no mercado. Obteve 300 milhões de euros numa operação que vai permitir baixar o custo da dívida da empresa.
Brisa paga pouco mais de 2% para emitir 300 milhões em dívida
Bruno simão
Paulo Moutinho 15 de março de 2016 às 15:02

A Brisa Concessões Rodoviárias obteve um financiamento de 300 milhões de euros através de uma emissão de dívida finalizada esta terça-feira, 15 de Março. A operação, que já tinha sido anunciada pela empresa na semana passada, beneficiou de uma taxa baixa, ligeiramente acima dos 2%, reflexo do apetite dos investidores por estes títulos depois das novas medidas anunciadas pelo Banco Central Europeu (BCE).


A emissão contou, de acordo com fonte próxima da operação citada pela Bloomberg, com um prémio de 172 pontos base acima da taxa "mid swap" a sete anos – a emissão, confirmada pela concessionária ao Negócios, tem maturidade em 2023. Ou seja, tem um prazo de sete anos.


A taxa "mid swap", que baixou face à expectativa inicial de 175 pontos, está, de acordo com os dados da Bloomberg, em 0,315%. Ou seja, a concessionária liderada por Vasco de Mello deverá pagar um juro de 2,035% pelo financiamento de 300 milhões de euros. A taxa de cupão é de 2%.


Esta emissão, em que participaram o CaixaBI, o Haitong Bank, BCP, Novo Banco, Santander, Barclays, DB e Société Générale, é feita ainda no rescaldo do novo pacote de medidas anunciadas por Mario Draghi, as quais podem beneficiar a Brisa Concessões Rodoviárias.


O BCE vai passar a comprar dívida de empresas com "rating" de qualidade
, critério que a empresa cumpre tanto junto da Fitch como da Moody’s. Além desta, também a EDP e a REN podem tirar partido dessas compras, expectativa que levou à forte queda dos juros da dívida das cotadas no mercado secundário.


Nova emissão


A operação de financiamento realizada no mercado surge depois de a Brisa Concessões Rodoviárias ter anunciado a 7 de Março que vai emitir obrigações no valor de 120 milhões de euros e que decidiu reembolsar antecipadamente títulos no mesmo valor que venciam em Janeiro de 2020.


"A nova emissão vai ser efectivada a 7 de Junho próximo, a taxa variável e com maturidade em Janeiro de 2022, numa operação contratualizada com entidades do Grupo BPI", disse, à data, a empresa, em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).




pub

Marketing Automation certified by E-GOI