Bolsa China e subida de juros da Fed pressionam Wall Street

China e subida de juros da Fed pressionam Wall Street

As bolsas norte-americanas abriram em baixa, penalizadas pelos novos receios em torno do crescimento mundial, à conta dos mais recentes dados económicos da China. Além disso, a Fed sinalizou que irá continuar a aumentar os juros, o que também ajuda a que os investidores fujam de activos mais arriscados.
China e subida de juros da Fed pressionam Wall Street
Reuters
Carla Pedro 09 de novembro de 2018 às 14:43
Wall Street negoceia em baixa esta sexta-feira, 9 de Novembro, num dia em que os dados económicos vindos da China trazem mais preocupações sobre o crescimento mundial. Além disso, a Reserva Federal sinalizou que irá continuar a aumentar os juros, prosseguindo a normalização da política monetária. Estes sinais levam os investidores a afastar-se de activos mais arriscados.

O índice industrial Dow Jones segue a recuar 0,65% para 26.022,24 pontos e o Standard & Poor’s 500 cede 0,73% para 2.786,21 pontos.

 

Também o tecnológico Nasdaq Composite negoceia em baixa, a perder 1,19% para 7.441,37 pontos.

Os investidores já tinham descontado, em grande medida, uma manutenção da taxa directora por parte da Reserva Federal norte-americana, pelo que preferiram focar-se nos possíveis sinais sobre o ritmo de endurecimento da política monetária nos próximos tempos.

 

Ora, o banco central reiterou ontem que vai prosseguir a via da normalização da política monetária, aludindo a "mais aumentos graduais", o que foi entendido como um sinal de que no próximo mês a Fed deverá decidir-se por uma nova subida dos juros – a quarta este ano.

 

Foi o suficiente para o dólar fortalecer face às principais moedas, ao passo que Wall Street retrocedeu para terreno negativo. E hoje está a manter essa tendência.

 

A pressionar a negociação estão sobretudo as cotadas do sector tecnológico, como a Apple, Google e Microsoft.


(notícia actualizada às 14:47)