Mercados Cotadas pagam 100 milhões a administradores

Cotadas pagam 100 milhões a administradores

Quase todas as empresas entregaram bónus ou outras formas de remuneração variável. Pagamento diferido no tempo é cada vez mais comum.
Cotadas pagam 100 milhões a administradores
Bruno Simão/Negócios
André Veríssimo 11 de março de 2016 às 17:44

Os membros dos órgãos de administração das empresas da bolsa de Lisboa receberam em 2014 menos do que no ano anterior, indica o Relatório de Governo das Sociedades, divulgado na sexta-feira pela CMVM.

Os titulares daqueles órgãos sociais receberam 100,57 milhões de euros em 2014, menos 4,4% do que os 105,16 milhões auferidos no ano anterior. A maior fatia coube aos administradores executivos, que levaram para casa dois terços do montante total.


Mais de três quartos da remuneração (76%) adveio do salário fixo, incluindo senhas de presença e complementos de reforma. O restante diz respeito à componente variável: bónus, prémios e participação nos lucros da empresa. Este tipo de remuneração é usada em 90,7% das sociedades.


O relatório do regulador salienta que "nos últimos anos acentuou-se a tendência para as empresas diferirem parte da remuneração variável", que já ocorre em 46,5% das cotadas.


A entrega dos bónus e prémios ao longo de vários anos é recomendada pelas boas práticas de governo das sociedades, de forma a desencorajar comportamentos de risco, já que permite suspender o pagamento caso se identifique que as decisões da gestão colocaram em perigo a sustentabilidade da empresa. De entre as empresas cotadas, 58,1% já adoptaram este sistema de remuneração variável com componentes plurianuais.


Já a atribuição das chamadas "stock options", opções para a compra de acções da empresa, está a passar de moda. Já só 7% as oferece como remuneração variável dos órgãos de administração e 3% como bónus aos trabalhadores. A distribuição de acções aos membros do concelho de administração só existe em 16% das cotadas.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI