Bolsa CTT disparam 3% com negócio do correio "melhor que o esperado"

CTT disparam 3% com negócio do correio "melhor que o esperado"

Os analistas destacam a evolução da actividade operacional da empresa no quarto trimestre, que indicia sinais de recuperação. A volatilidade está a marcar a sessão.
Nuno Carregueiro 08 de março de 2018 às 08:38

As acções dos CTT estão a reagir de forma positiva aos resultados apresentados na quarta-feira, já que os lucros ficaram abaixo do esperado, mas ao nível operacional a companhia surpreende pela positiva, sobretudo ao nível dos volumes de correio e do EBITDA.

 

As acções até arrancaram a sessão em queda, mas rapidamente inverteram para terreno positivo, alcançando uma subida máxima de 2,98% para 3,248 euros. A volatilidade está a marcar o arranque da sessão, já que depois de terem estado a subir quase 3%, as acções já regressaram a terreno neagativo e posiitvo por várias meses.

Este desempenho surge depois de cinco sessões sempre a fechar no vermelho, com os investidores a temerem que a empresa liderada por Francisco Lacerda desse más notícias na apresentação de resultados.

 

A companhia anunciou que os lucros de 2017 desceram 56,1% para 27,3 milhões de euros, um valor que ficou abaixo do que os analistas estavam à espera.

 

Contudo, ao nível operacional os CTT apresentaram números que agradaram aos analistas. O BPI assinala que os volumes de correio entregue ficaram acima do esperado e que o EBITDA do quarto trimestre situou-se 12% acima da sua expectativa e 30% melhor que o consenso.

 

"A nossa primeira leitura é que os resultados do quarto trimestre de 2017 foram ligeiramente melhores que o esperado, nomeadamente no negócio de Correio e de Expresso & Encomendas", refere o CaixaBI, numa nota de correio intitulada: negócio do correio "melhor que o esperado".

 

O EBITDA dos CTT desceu 20,5% para 81,1 milhões de euros e as receitas aumentaram em 0,9% para 676 milhões de euros. O EBITDA ficou 1,6% acima esperado pelo CaixaBI e as receitas ficaram 3,3% acima do esperado.  

 

"Os resultados do quarto trimestre mostraram algumas dinâmicas positivas, nomeadamente no negócio de Correio, com os volumes endereçados a caírem apenas 4,5% em termos homólogos face a uma expectativa de queda de 6.0%", refere o CaixaBI.

 

Pela negativa o BPI destaca o Outlook que a empresa deixou para este ano, já que estima a manutenção do EBITDA recorrente com este indicador a ficar dependente dos volumes de correio e do desempenho dos serviços financeiros.

 

O CaixaBI assinala que apesar dos resultados acima do esperado no quarto trimestre, mantém a visão inalterada para a empresa, "com os CTT a operarem num contexto de mercado desafiante".

 

O BPI recomenda comprar CTT com um preço-alvo de 4,25 euros. O CaixaBI recomenda comprar com um preço-alvo de 4,70 euros.

 




Saber mais e Alertas
pub