Bolsa CTT voltam a mínimos históricos

CTT voltam a mínimos históricos

Os CTT voltaram na sessão de terça-feira a fixar um novo mínimo histórico, nos 2,952 euros.
CTT voltam a mínimos históricos
Miguel Baltazar/Negócios
Alexandra Machado 17 de abril de 2018 às 09:11
Os CTT estão a cair mais de 2,3% na sessão desta terça-feira, 17 de Abril, voltando a fixar um novo mínimo histórico, nos 2,952 euros.

Já na semana passada a empresa de correios tinha tido desempenho idêntico, com a fixação de mínimos a 13 de Abril, nos 2,97 euros durante a sessão. No dia anterior tinha, pela primeira vez desde que entrou em bolsa, fixado um valor abaixo dos 3 euros, mas no final da sessão acabou por ficar acima desse montante.

Esta terça-feira voltou a baixar desse valor, colocando o novo mínimo nos 2,952 euros.

Os CTT fecharam a sessão de segunda-feira, 16 de Abril, acima dos 3 euros, a valer 3,03 euros. Os CTT entraram em bolsa, em Dezembro de 2013, precisamente a valer 3 euros, barreira quebrada pela primeira vez na semana passada.

No conjunto do ano os CTT vão com uma desvalorização de 15%. 

Esta terça-feira não há notícias que permitam justificar esta queda, ainda que nos tempos mais recentes tenha havido várias revisões em baixa para a avaliação das acções dos CTT.

No final da semana passada o CaixaBI reviu em baixa a avaliação da empresa, passando de uma recomendação de compra para neutral e baixando o preço-alvo em mais de 30%, de 4,7 euros para 3,1 euros.

Os analistas do CaixaBI fazem o corte na recomendação depois dos resultados do quarto trimestre. "Considerando que a política de dividendos é agora menos generosa (associada à geração de resultado líquido), estamos agora na presença de uma companhia com o seu principal negócio em declínio e com duas alavancas que se ainda não são suficientes para estancar as perdas do Correio: Expresso & Encomendas e Banco CTT", justificam os analistas, citados na nota a que o Negócios teve acesso.

Antes da revisão do CaixaBI, também o Goldman Sachs e o Barclays tinham cortado as suas perspectivas. O Goldman Sachs reduziu a sua avaliação em 4,9% para 3,90 euros. Já o Barclays cortou em 21% a avaliação para 3,0 euros. 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.

(Notícia actualizada às 9:20 com recomendações do CaixaBI) 



A sua opinião30
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Àlvaro Há 5 dias

E o Caixa BI avalia os Ctt's em 3.10. Em qualquer das avaliações se percebe como a geringonça destruiu o valor dos Ctt's, atacando em várias frentes: 1.º, porque não queria concorrência do banco público, tirou produtos financeiros aos Ctt's e passou para as lojas do cidadão, depois, através do regulados exigiu um serviço público que obriga a gastos que anulam todo o programa de recuperação da empresa. Se juntarmos o ódio do PS a Passos Coelho à decisão de privatizar os CTT's (que o PS assinou, que encaixou 900 milhões, mas que agora faz de santinho) com o ódio de estimação dos comunistas do Bloco e do PC têm a Champas está tudo explicado. Felizmente percebi isso a tempo. Quem não os conhece que os compre.

comentários mais recentes
Anónimo Há 5 dias

Acionistas temos demitir Lacerda e DOP incapaz reestruturar operações Hernani velho, não foi capaz reduzir CDP e reduzir contratação acabando carteiro chefes, e reduzir director comerciais tem carros vup grandes rendas, acionistas hoje lesados amanhã igual BES e banif, demitir Lacerda é travar queda

Anónimo Há 5 dias

Nos acionistas temos mudar gestão CTT, acções estão 2€, acabar director comerciais, com DOP Hernani velho, com CDP distam minutos e acabar com chefias que são carteiro reduzir contratação, as viaturas vup das chefias custam mais milhão, acabar essa exposição, demitir toda administração Lacerda rua

Anónimo Há 5 dias

Os CTT, tem centros ficam 5 minutos uns dos outros aqui é ribeira grande ponta delgada, praia, Angra, Madalena são roque,colocam carteiro chefe e contratam a seguir, essa gestão está falir CTT, acionistas se não demitem toda gestão liderada Hernani velho, acionistas vão virar lesados igual BES banif

Anónimo Há 5 dias

Uma administração que para reestruturar precisa gastar 20 milhões, e é só fechar lojas e juntar CDP's, reduzir contratados com juntar CDP é simples, e substituir DOP incapaz reestruturar operações, esse Hernani velho sem ideias, precisa já ser demitido, acções 2€, acionistas hoje lesados amanhã.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub