Obrigações DBRS mantém rating de Portugal dois níveis acima de lixo

DBRS mantém rating de Portugal dois níveis acima de lixo

Se Portugal conseguir obter um excedente primário (sem ter em conta o pagamento de juros) de forma sustentável, bem como um crescimento económico estável que permita uma redução adicional no rácio da dívida pública, a DBRS admite elevar a notação financeira de Portugal.
DBRS mantém rating de Portugal dois níveis acima de lixo
Nuno Carregueiro 12 de outubro de 2018 às 21:33

A DBRS, que nunca teve o rating de Portugal no lixo, manteve esta sexta-feira a notação financeira de Portugal em BBB, com tendência estável.


Numa nota publicada esta noite, a agência de notação financeira diz que os riscos relacionados com o actual rating de dois níveis acima de "lixo" estão equilibrados, já que a economia continua a crescer a um ritmo saudável e o défice com uma trajectória descendente, mas o elevado rácio da dívida pública deixa as finanças públicas do país "vulneráveis" a choques negativos.


"Apesar do crescimento económico ter moderado no primeiro semestre face a 2017, projecta-se um crescimento saudável de 2,3% para a totalidade do ano, ainda acima da média da Zona Euro", refere a nota da DBRS, destacando também pela positiva que "o défice orçamental e o rácio da dívida pública devem continuar a cair e o crédito malparado dos bancos está a diminuir".


Apesar destas evoluções positivas, a DBRS destaca que o rácio da dívida pública permanece em níveis elevados, o que "limita a capacidade orçamental e deixa as finanças públicas vulneráveis a choques negativos". Além disso, o crédito malparado também permanece em níveis elevados, sobretudo no segmento empresarial.


Se Portugal conseguir obter um excedente orçamental primário (sem ter em conta o pagamento de juros) de forma sustentável, bem como um crescimento económico estável que permita uma redução adicional no rácio da dívida pública, a DBRS admite elevar a notação financeira de Portugal.


Pelo contrário, o "rating" pode descer caso se assista a uma inversão na trajectória do rácio da dívida pública, uma deterioração nas perspectivas de crescimento económico ou um enfraquecimento no compromisso político para implementar políticas económicas sustentáveis.


No passado dia 5 de Julho a DBRS subiu o rating de Portugal para o penúltimo nível do investimento de qualidade (BBB).

Enquanto foi a única agência que mantinha Portugal acima de lixo, a DBRS tinha o poder de ligar ou desligar Portugal da máquina do Banco Central Europeu (BCE), uma vez que era a única que garantia a elegibilidade da dívida nacional para os programas de compra do BCE.


Dado que a Fitch e a S&P já retiraram o rating de Portugal do "lixo" no ano passado (e a Moody’s fê-lo hoje), a notação atribuída pela DBRS perdeu relevância.

 




pub