Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Declarações de Schroeder e Greenspan penalizam euro

O euro seguia a perder mais de 1% face ao dólar na sequência das declarações hoje proferidas pelo chanceller alemão, Gerhard Schroeder, e pelo presidente da Reserva Federal norte-americana (Fed), Alan Greenspan. O primeiro disse que o Banco Central Europe

Ruben Bicho rbicho@mediafin.pt 25 de Fevereiro de 2004 às 17:49
  • Partilhar artigo
  • ...

O euro seguia a perder mais de 1% face ao dólar na sequência das declarações hoje proferidas pelo chanceller alemão, Gerhard Schroeder, e pelo presidente da Reserva Federal norte-americana (Fed), Alan Greenspan. O primeiro disse que o Banco Central Europeu devia cortar as taxas de juro, o segundo revelou que a economia dos EUA está «vigorosa».

O euro [EUR] seguia a perder 1,55% para os 1,2489 dólares, quebrando a tendência de subida verificada nos últimos dois dias.

A queda da moeda europeia foi provocada pelas palavras de Alan Greenspan e Gerhard Schroeder. O presidente da Fed veio hoje afirmar que a economia norte-americana ultrapassou a recessão e está a crescer de forma «vigorosa».

«Os indicadores mais recentes sugerem que a economia está a registar um forte inicio de 2004 e as perspectivas de o crescimento ser sustentado são boas», afirmou Greenspan, que disse que as baixas taxas de juro – de 1%, nível mais baixo dos últimos 46 anos - ajudaram a economia dos EUA a recuperar.

Greenspan não reiterou, no entanto, a promessa de que a Fed iria esperar «pacientemente» pela recuperação económica antes de subir as taxas de juro. A perspectiva de um aumento nas taxas dos EUA levou os mercados a fortalecer o dólar frente ao euro.

A moeda da Zona Euro veria a sua queda acentuar-se depois de o chanceller alemão, Gerhard Schroeder, defender que o BCE deveria baixar as taxas de juro como forma de travar os ganhos da moeda europeia.

«O euro está a causar problemas nas nossas exportações e penso que o declínio na confiança dos empresários é uma reacção a isso. Com respeito pela independência do Banco Central Europeu, quero dizer que é preciso pensar nas consequências causadas pelas taxas de juro», afirmou Schroeder em declarações a uma rádio regional alemã.

No entanto, uma intervenção do BCE não se afigura provável enquanto a moeda europeia não ultrapassar em muito uma taxa de câmbio de 1,26 a 1,27 dólares, segundo notícia hoje o site «Market News» com base em fontes ligadas ao banco.

De acordo com essas fontes, o BCE considera um valor do euro de 1,27 dólares como «normal» e só se a moeda europeia ultrapassar os 1,35 dólares é que o banco ficaria «muito preocupado».

O site adianta ainda que uma discussão quanto à eventual descida das taxas de juro deverá ter lugar na próxima reunião do Banco Central Europeu a 4 de Março.

Outras Notícias