Mercados Depois da China, agora são os EUA a confirmar. Tarifas aduaneiras vão ser retiradas

Depois da China, agora são os EUA a confirmar. Tarifas aduaneiras vão ser retiradas

Os representantes chineses tinham adiantado esta manhã que tinham chegado a acordo com Washington para a retirada de tarifas aduaneiras, por fases. Agora, foi a vez dos EUA confirmarem.
Depois da China, agora são os EUA a confirmar. Tarifas aduaneiras vão ser retiradas
Reuters
Negócios 07 de novembro de 2019 às 17:38
Depois da China, agora foi a vez dos Estados Unidos confirmarem. As duas maiores economias do mundo vão mesmo começar a retirar as tarifas impostas anteriormente sobre produtos importados de cada um dos países. O acordo, no entanto, poderá ser apenas selado em dezembro, e não ainda este mês, como era expectável. 

O porta-voz do Ministério do Comércio chinês tinha anunciado na manhã desta quinta-feira, 7 de novembro, que a Washington e Pequim chegaram a acordo para retirar as tarifas por fases. Adiantou que o montante de tarifas que vão ser retiradas na primeira fase dependerá do "conteúdo" exato do acordo.

Washington e Pequim têm estado a negociar um acordo comercial parcial que irá implicar que os EUA retirem algumas tarifas sobre as importações chinesas. Em troca, a China terá de comprar bens agrícolas norte-americanos e outros produtos. 

Esse acordo comercial, ainda que limitado, deverá ser assinado pelos líderes dos dois países numa cimeira. Inicialmente o encontro era apontado para este mês numa cimeira internacional no Chile que viria a ser cancelada, mas a Bloomberg escreve, com base numa fonte próxima do processo, que a assinatura poderá derrapar para dezembro.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI