Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Descubra o plano certo para a sua reforma

A PROTESTE INVESTE elegeu os quatro PPR que merecem o seu dinheiro. Saiba qual deles é o mais indicado para si e, se tiver outro produto, pondere transferir a poupança.

Deco Proteste 16 de Junho de 2014 às 09:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • 8
  • ...

Pare um minuto para reavaliar o seu plano de poupança--reforma. Desde 2011 que os benefícios fiscais que se alcançavam anualmente através da subscrição de PPR são uma miragem. É verdade que os PPR ainda têm vantagens fiscais, mas são outras: a tributação à saída pode baixar até 8% sobre os ganhos, em vez dos 28% da maioria das aplicações financeiras. 

 

Todavia, o interesse de continuar a aplicar em PPR fica circunscrito aos aforradores entre os 40 e os 55 anos. Mesmo que a sua idade não esteja neste intervalo, este artigo pode interessar-lhe: se já tem PPR, descubra para qual deve transferir o capital para aumentar a probabilidade de ter um pé-de-meia mais gordo na aposentação.

 

Os analistas da PROTESTE INVESTE debruçaram-se sobre os PPR na forma de fundos de investimento e fundos de pensões.

 

Nos 12 meses que terminaram no final de Março, estes planos renderam, em média, 6%. De fora da análise ficaram os seguros de vida.

 

Comissões elevadas

 

O rendimento é o primeiro critério que a PROTESTE INVESTE aplica na identificação das Escolhas Acertadas, mas também muito importante é a estrutura de comissões. Esta é das categorias de fundos com maiores custos: cobram, em média, 1,3% do valor da subscrição e 1,7% por ano do montante sob gestão. Na lista das Escolhas Acertadas, a PROTESTE INVESTE optou por fundos com menores custos.

 

Algumas sociedades gestoras não cobram comissões de subscrição e resgate, uma decisão sensata. A comissão de transferência é, no máximo, de 0,5% e apenas permitida quando o capital está garantido. Se tem um fundo sem capital garantido, transferir para outro PPR não acarreta quaisquer custos.

 

Escolhas com comissão zero

 

Os analistas da PROTESTE INVESTE elegeram 4 PPR que devem satisfazer todos os leitores, especialmente porque não lhes cobram comissões de subscrição e de resgate. Quem está a menos de 10 anos da aposentação não deve aplicar mais dinheiro em PPR. No entanto, se já conta com PPR na sua carteira, deve optar por transferir os montantes para um PPR de capital garantido. Excluindo os PPR na modalidade de seguro de vida, as Escolhas Acertadas são o PPR SGF Garantido e o PPR Garantia de Futuro. Os associados da DECO têm vantagens adicionais na subscrição do PPR SGF Garantido.

 

Veja na caixa ao lado. Quem tem entre 40 e 55 anos pode continuar a investir em PPR. Consoante a sua propensão para o risco, há 2 Escolhas Acertadas: o Espírito Santo PPR e o Optimize Capital Reforma PPR Acções. O primeiro limita a exposição ao mercado acionista a 25% do património. O segundo pode ter até 55% em ações e, por isso, é mais arriscado. Contudo, este maior risco pode, no longo prazo, oferecer retornos superiores aos aforradores, além de os associados da DECO terem vantagens na subscrição do fundo da Optimize, como pode confirmar ao lado.

 

Entre os fundos defensivos e neutros, o Alves Ribeiro PPR destaca-se nas rentabilidades. Porém, não é a melhor opção porque apresenta um risco muito superior e atípico nesta categoria.

 

Devido ao seu maior potencial de rendimento, o Optimize Capital Reforma PPR Acções deve também ser a opção dos menores de 40 anos, mas apenas como destino de transferências de outros PPR. Quem ainda não celebrou o 40.º aniversário não deve aplicar as suas poupanças em PPR. Há soluções mais interessantes, como a carteira agressiva de fundos desenhada pelos analistas da PROTESTE INVESTE:

 


 

 

 

 

 

 

Ver comentários
Saber mais Reforma PPR Proteste
Outras Notícias