Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Deutsche Bank afunda quase 5% para novo mínimo histórico

O banco está a acompanhar a descida dos pares europeus, numa altura em que o índice de referência para a banca segue em mínimos de janeiro.

Rita Faria afaria@negocios.pt 03 de Junho de 2019 às 16:12
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O Deutsche Bank está a negociar em forte queda na bolsa de Frankfurt, seguindo abaixo dos 6 euros por ação pela primeira vez.

 

Os títulos descem 2,46% para 5,937 euros, depois de já terem perdido um máximo de 4,70% para 5,801 euros, a cotação mais baixa de sempre.

 

Esta evolução acompanha as descidas generalizadas dos bancos europeus, penalizados pelos receios sobre o impacto da guerra comercial no crescimento global e pelas perspetivas de juros baixos por mais tempo. Isto numa altura em que os analistas já antecipam duas descidas dos juros por parte da Reserva Federal dos Estados Unidos este ano, o que deverá continuar a pressionar os lucros do setor.

 

O índice Stoxx600 para a banca, que reúne as maiores instituições financeiras da Europa, está a deslizar 0,9% e a negociar no valor mais baixo desde 2 de janeiro. Além do Deutsche Bank, destacam-se as desvalorizações do Natixis (-4,58%), Bankia (-3,18%) e Banco BPM (-2,51%).

 

No caso do Deutsche Bank, acrescem receios em torno do negócio de banca de investimento, para o qual o CEO Christian Sewing prometeu apresentar um plano capaz de reverter a quebra do crescimento e rentabilidade.

 

Sewing disse aos acionistas que está pronto para fazer "duros cortes", sobretudo na negociação de ações, para restaurar a confiança do mercado, depois do fracasso das conversações para a fusão com o Commerzbank. O CEO espera apresentar o plano até ao final de julho, mas os analistas dizem que é necessário rapidez e objetividade.

 

"Não invejamos o CEO Sewing, que herdou o trabalho mais difícil na banca europeia, mas achamos que ele está á altura do desafio de tomar medidas contra o status quo", referem os analistas do JPMorgan, numa nota citada pela Bloomberg, acrescentando que o Deutsche Bank tem de deixar de "remediar" com os seus esforços de reestruturação. "O próximo passo tem de ser uma decisão objetiva sobre que negócios podem ser encerrados, que ativos podem ser reduzidos e que medidas de redução de custos precisam de ser implementadas para alinhar o banco com os seus pares".

 

As ações do Deutsche Bank descem quase 15% desde o início do ano, e estão já 90% abaixo dos máximos antes da crise financeira.

Saber mais banca Deutsche Bank mercados bolsas
Mais lidas
Outras Notícias