Bolsa Direitos do BCP caem 6% no último dia de negociação

Direitos do BCP caem 6% no último dia de negociação

Depois de um início de sessão em alta, as acções e os direitos de subscrição do aumento de capital do BCP seguem agora a desvalorizar. Esta segunda-feira é o último dia em que os direitos do BCP negoceiam em bolsa.
Direitos do BCP caem 6% no último dia de negociação
Bruno Simões
David Santiago 30 de janeiro de 2017 às 12:58

Tanto os títulos accionistas como os direitos de subscrição do aumento de capital do BCP inverteram a tendência verificada no início da sessão desta segunda-feira, 30 de Janeiro, estando agora ambos a transaccionar em terreno negativo.

 

Os direitos de subscrição estão a perder 5,99% para 69 cêntimos, estando a ser influenciados pela pressão vendedora dos accionistas do banco liderado por Nuno Amado que não pretendem participar no aumento de capital anunciado pelo BCP dado que hoje é o último dia em que os direitos negoceiam em bolsa.  

 

Esta queda acaba por influenciar negativamente a transacção das acções da instituição, que resvalam agora 3,52% para 14,79 cêntimos.

 

Na sessão bolsista da próxima terça-feira, 31 de Janeiro, já não será possível aos accionistas da instituição comprar ou alienar direitos do BCP. A diferença de valor entre acções e direitos persiste, uma vez que à cotação de 14,79 cêntimos por acção corresponde um valor de equilíbrio dos direitos de 80,85 cêntimos (17% acima da cotação efectiva).

 

Já aos direitos a negociar nos 69 cêntimos corresponde um valor de equilíbrio 14 cêntimos para as acções, ou seja, 5,3% abaixo da cotação efectiva.

 

Tendo em conta que hoje é o último dia de negociação dos direitos, os accionistas do BCP que tenham decidido não investir mais dinheiro na instituição têm de, por forma a não perder grande parte do valor em carteira, alienar em bolsa os títulos creditados na sua conta quando, no dia 17 de Janeiro, os direitos foram destacados das acções.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI