Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Dow Jones supera os 26 mil pontos pela primeira vez

As principais praças norte-americanas arrancaram a sessão em terreno positivo, numa altura em que prossegue a época de apresentação de resultados das cotadas norte-americanas. O índice industrial Dow Jones supera pela primeira vez os 26 mil pontos.

Reuters
Ana Laranjeiro alaranjeiro@negocios.pt 16 de Janeiro de 2018 às 14:35
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

Na primeira sessão de uma semana que é mais curta (ontem foi feriado nos Estados Unidos), as principais praças norte-americanas arrancaram a sessão em alta. O índice Dow Jones alcançou inclusivamente um marco nunca antes alcançado: os 26 mil pontos.

O Dow Jones sobe 0,76% para 25.999,36 pontos, tendo chegado a subir 0,81% para os 26.012,20 pontos. O Nasdaq sobe 0,63% para 7.307,016 pontos. E o S&P500 avança 0,56% para 2.801,74 pontos.

O Citigroup comunicou esta terça-feira ao mercado que, no quarto trimestre do ano passado, registou um prejuízo de 18,3 mil milhões de dólares, ou 7,5 dólares por acção, e receitas de 17,3 mil milhões de dólares. Em termos anuais, o banco fechou 2017 com prejuízos de 6,2 mil milhões de dólares, algo que não acontecia ao banco norte-americano desde 2009. O resultado negativo, que compara com os lucros de 14,9 mil milhões de dólares registados em 2016, deve-se essencialmente ao encargo extraordinário de 22 mil milhões de dólares relacionado com a reforma fiscal da administração Trump.

As acções do Citigroup avançam 1,76% para 78,195 dólares, porque, excluindo o encargo extraordinário, os resultados superaram as estimativas dos analistas.

Outras instituições financeiras como o Bank of America, Goldman Sachs, Morgan Stanley e American Express apresentam ao longo desta semana os seus números. Por esta altura, os títulos do Goldman Sachs crescem 1,04% para 259,71 dólares e o Bank of America sobe 1,52% para 31,665 dólares.

As expectativas em torno dos resultados trimestrais fortes, bem como um crescimento económico sólido, alimentaram a evolução das bolsas norte-americanas no arranque de 2018.

"Os EUA não estão apenas a sair de um trimestre forte, mas as novas medidas de reforma fiscal continuam a dar um impulso, com os investidores a quererem ouvir mais sobre o impacto que isto vai ter nos ganhos futuros", disse Craig Erlam da Oanda, à Reuters.


(Notícia actualizada às 14:49)

Ver comentários
Saber mais wall street EUA Nasdaq Dow Jones
Mais lidas
Outras Notícias