Bolsa EDP desliza mais de 2% e arrasta PSI-20

EDP desliza mais de 2% e arrasta PSI-20

A bolsa nacional iniciou o dia a descer, pressionada pelas quedas da EDP, que ontem apresentou os seus resultados do terceiro trimestre do ano.
A carregar o vídeo ...
Sara Antunes 09 de novembro de 2018 às 08:12

O PSI-20 desce 0,32% para 5.004,43 pontos, com cinco cotadas em alta, nove em queda e quatro inelaradas. Entre os congéneres europeus a tendência também é de queda, com os investidores a reflectirem os indicadores económicos que apontam para um abrandamento económico da China. A pressionar a negociação estão também as perspectivas deixadas ontem pela Fed, que apontam para a manutenção da política de subida gradual dos juros.

Na bolsa nacional, o grupo EDP está a condicionar a negociação. Por um lado, a eléctrica liderada por António Mexia está a descer 2,23% para 3,107 euros, a reflectir os resultados dos primeiros nove meses apresentados ontem já após o fecho do mercado. O lucro da EDP caiu 74% para 297 milhões de euros no acumulado do três trimestres.

Do lado oposto, a EDP Renováveis está a subir 1,28% para 7,895 euros, no dia em que o Santander emitiu uma nota onde eleva o preço-alvo da empresa para mais de 10 euros, o que confere às acções um potencial de quase 28%. 

Em queda está também a Galp Energia, ao recuar 1,07% para 14,795 euros, numa altura em que os preços do petróleo voltam às quedas e negoceiam em torno dos 70 dólares por barril, em Londres, mercado de referência para Portugal.

A travar a queda da bolsa está ainda a Pharol, que aprecia 1,45% para 0,1684 euros, depois da empresa liderada por Palha da Silva ter anunciado que avançou com um pedido de indemnização de dois mil milhões de euros à brasileira Oi.

O BCP também está a subir 0,97% para 0,25 euros, a beneficiar da melhoria dos resultados nos primeiros nove meses do ano. O banco liderado por Miguel Maya quase que duplicou os lucros para 257,5 milhões de euros.

A Nos, que também apresentou os resultados até Setembro, está a ceder 0,1% para 5,15 euros. Os lucros da empresa liderada por Miguel Almeida aumentaram 17% para 123 milhões de euros.

A Sonae Capital está a deslizar 4,62% para 0,723 euros, depois de ter reportado um prejuízo 12 vezes superiores até Setembro.


Quem também apresentou resultados foi a REN, reportando um aumento dos lucros de 2% para 91 milhões de euros. As acções da empresa liderada por Rodrigo Costa estão estáveis nos 2,42 euros.

(Notícia actualizada com mais informação)