Bolsa EDP puxa pela bolsa nacional, mas Sonae é a estrela com subida de quase 3%

EDP puxa pela bolsa nacional, mas Sonae é a estrela com subida de quase 3%

O principal índice nacional, o PSI-20, abriu no verde. A sustentar os ganhos está a EDP, mas a Sonae distingue-se das restantes cotadas com uma subida de quase 3%.
A carregar o vídeo ...
Ana Batalha Oliveira 18 de maio de 2018 às 08:10

O PSI-20, principal índice da bolsa nacional, avança 0,12% para os 5760,85 pontos, com seis cotadas a subir, uma inalterada e onze em queda. Lisboa avança assim em contramão com a Europa, quando o Stoxx 600, o principal agregador, regista uma quebra de 0,19% para os 395,03 pontos. As cotadas que mais pesam no panonarama europeu são as do sector das telecomunicações. 

Na praça nacional, a EDP é o "peso pesado" da bolsa com o arranque mais positivo: soma 0,56% para os 3,42 euros. O Norges Bank, que é o maior fundo soberano do mundo, comprou acções da EDP na segunda-feira, 14 de Maio, passando a deter directamente 77.923.472 acções da EDP, que correspondem a 2,13% do capital.

 

A Sonae destaca-se no índice na primeira sessão após a apresentação de resultados. Soma 2,53% para os 1,176 euros, liderando os ganhos na abertura da bolsa nacional. A "holding" da família Azevedo lucrou 20 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, o que compara com 8 milhões de resultados há um ano. Ficou acima das expectativas dos analistas do BPI, que apontavam para um aumento de 77% do resultado líquido para 15 milhões de euros.

Já a irmã Sonaecom também figura no pódio das cotadas com mais valorização na abertura. Sobe 0,39% para os 1,02 euros.

No sector do papel, a Navigator continua no registo de quebra de recordes que tem mantido na última semana. Atinge um novo máximo histórico de 5,425 euros, ao abrir a subir 0,18%. Semapa e Altri rumam no sentido contrário, ao desvalorizarem 0,24% para os 20,75 euros e 0,26% para os 7,63 euros.  

A travar maiores ganhos estão Galp e Jerónimo Martins. A energética liderada por Carlos Gomes da Silvaperde 0,24% para os 16,89 euros, num dia em que o barril de Brent, referência para a Europa, continua a valorizar e a cotar perto da fasquia dos 80 dólares, quebrada durante o dia anterior. Avança 0,29% para os 79,53 dólares. A retalhista de Soares dos Santos é mais tímida nas perdas, com os títulos a caírem 0,11% para os 13,905 euros.

 

(Notícia em actualizada às 08:29)