Petróleo Emirados Árabes seguem sauditas e aumentam oferta de petróleo

Emirados Árabes seguem sauditas e aumentam oferta de petróleo

Os Emirados Árabes Unidos (EAU) vão seguir a estratégia de aumento da produção de crude definida pela Arábia Saudita. A estatal ADNOC vai aumentar a oferta diária em um milhão de barris.
Pedro Curvelo 11 de março de 2020 às 11:53

Os Emirados Árabes Unidos (EAU) vão seguir a estratégia de aumento da produção de crude definida pela Arábia Saudita, com a petrolífera estatal Abu Dhabi National Oil Co (ADNOC) a anunciar que irá aumentar a oferta diária em um milhão de barris.

Num comunicado emitido esta quarta-feira, a petrolífera indica que "está em posição para fornecer o mercado com mais de quatro milhões de barris por dia em abril".

Este número traduz um reforço da oferta da ADNOC em cerca de um milhão de barris de crude diários.

"Adicionalmente, iremos antecipar a meta planeada de atingir uma capacidade de produção de cinco milhões de barris diários", refere a empresa.

O anúncio da estatal dos Emirados Árabes surge no mesmo dia em que a Arábia Saudita ordenou à petrolífera Saudi Aramco que reforce a sua capacidade de produção para 13 milhões de barris diários.

As medidas surgem no âmbito da guerra de preços entre Riade e Moscovo iniciada domingo, quando a Arábia Saudita anunciou um aumento da produção de crude e descontos para os seus clientes a partir de abril.

Riade tenta inundar o mercado com petróleo para obrigar a Rússia a ceder na recusa em aceitar a proposta da OPEP de um corte de 1,5 milhões de barris de crude diários para sustentar os preços da matéria-prima, em queda devido ao impacto do coronavírus Covid-19.

Na segunda-feira, os preços do petróleo nos mercados internacionais afundaram mais de 30%, o que originou, por seu turno, um colapso nas bolsas mundiais. As principais praças registaram a maior queda diária desde, pelo menos, 2008.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI