Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Espanha cria o primeiro mercado de futuros de azeite

A Espanha aprovou um plano para dar início ao primeiro mercado mundial para a negociação de contratos futuros de azeite, a fim de proteger os agricultores das flutuações dos preços.

Isabel Aveiro ia@negocios.pt 07 de Novembro de 2003 às 15:55
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A Espanha aprovou um plano para dar início ao primeiro mercado mundial para a negociação de contratos futuros de azeite, a fim de proteger os agricultores das flutuações dos preços.

O governo espanhol aprovou hoje, em Conselho de Ministros, por proposta da Comisión Nacional del Mercado de Valores (CNMV), «a criação do mercado de futuros do azeite de oliveira que será gerido pela MFAO Sociedade Gestora do Mercado de Futuros do Azeite de Oliva SA», assim como o regulamento do mesmo mercado.

A CNMV será organismo que «supervisionará o funcionamento deste mercado secundário oficial», que ficará localizado em Jaen, a Sul do país. A localização justifica-se, segundo o comunicado do governo de José María Aznar, «dada a grande concentração nesta província de produção do activo subjacente».

A sociedade promotora, que se transformará na sociedade gestora do mercado, conta «com 42 accionistas entre entidades financeiras, empresas do sector oleícola e representação institucional». A Junta da Andaluzia controla 33,56% da sociedade promotora.

O executivo espanhol esclarece que «em consequência, o mercado irá contar com membros industriais, e as empresas do sector (não financeiras), que cumpram os critérios de especialidade e solvência adequados poderão aceder directamente à negociação».

De início o mercado irá negociar «contratos de futuros sobre aceite de oliva virgem de qualidade mínima lampante». O azeite lampante não é comestível, tendo que ser submetido a processos químicos de refinação e posteriormente misturado com azeite virgem para ser vendido junto dos consumidores finais.

O governo espanhol prevê celebrar 220 mil contratos no primeiro exercício de funcionamento do mercado. O mesmo terá «seis vencimentos ao ano, que serão liquidados mediante entregas físicas do subjacente».

No comunicado hoje emitido não há referência à data de início de negociação no mercado.

A mesma fonte salienta que «este será o primeiro mercado de futuros sobre o preço do azeite de oliveira do mundo», que se apoia na importância de Espanha como produtor mundial. A produção espanhola, defende o governo daquele país, atinge cerca de 50% da colheita mundial total.

A função económica do mercado, explica o governo, «é a cobertura dos riscos ligados às flutuações do preço». Com a iniciativa, os «produtores poderão estabilizar o seu fluxo de receitas ao longo da campanha oleícola, num sector caracterizado por elevados índices de volatilidade dos preços».

Um outro mercado de contratos futuros, de laranjas, não foi contudo aprovado pelo conselho de ministros de hoje.

Outras Notícias