Bolsa EUA recuperam de duas sessões de perdas após actas da Fed

EUA recuperam de duas sessões de perdas após actas da Fed

As bolsas dos Estados Unidos estão a valorizar mais de 0,5%, depois de terem sido penalizadas ontem pelas actas da Fed, que sugerem uma maior disponibilidade para acelerar a subida dos juros.
EUA recuperam de duas sessões de perdas após actas da Fed
EPA
Rita Faria 22 de fevereiro de 2018 às 14:47

As bolsas dos Estados Unidos estão em alta esta quinta-feira, 22 de Fevereiro, depois de duas sessões consecutivas de perdas, numa altura em que a evolução da inflação e da política monetária nos Estados Unidos continua no centro das atenções.

 

Nesta altura, o índice industrial Dow Jones ganha 0,82% para 25.000,58 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq valoriza 0,69% para 7.267,89 pontos. Já o S&P500 sobe 0,76% para 2.721,36 pontos.

 

Na sessão de ontem, os três principais índices encerraram com sinal vermelho, penalizados pelas actas da última reunião da Fed, onde a autoridade monetária se mostrou mais confiante no crescimento da economia e na subida dos preços, e admitiu que poderá ser apropriado reforçar a normalização da política monetária.  

 

A perspectiva de uma subida mais rápida dos juros nos Estados Unidos penalizou as acções e levou os juros das treasuries norte-americanas a dez anos para máximos de quatro anos, nos 2,957%.

 

Esta quinta-feira, contudo, o presidente da Fed de St Louis James Bullard disse à CNBC que os bancos centrais devem ter cuidado para não aumentarem os juros demasiado rápido este ano, sob pena de provocarem um abrandamento da economia.

 

Apesar da postura mais "hawkish" [mais favorável ao aperto da política monetária], uma análise da Reuters mostra que o mercado continua a apontar para três subidas dos juros este ano. Os traders apontam para uma probabilidade de 94% de o primeiro aumento ser já em Março.

 

Para hoje são aguardados os discursos do presidente da Fed de Dallas Robert Kaplan e do presidente da Fed de Nova Iorque William Dudley.

Antes da abertura do mercado, foi revelado que os pedidos de subsídio de desemprego nos Estados Unidos diminuíram em 7 mil para 222 mil, o valor mais baixo em cinco semanas, e inferior à estimativas que apontavam para um total de 230 mil.




pub