Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Euribor a três meses inalterada após 37 sessões em queda

A taxa interbancária a três meses ficou, esta quarta-feira, inalterada depois de 37 sessões a perder terreno. Nas restantes maturidades a Euribor continua a cair, excepto no prazo de um mês.

Rita Dias Baltazar rbaltazar@negocios.pt 26 de Setembro de 2012 às 11:32
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
O indexante a seis meses recuou 0,2 pontos base para 0,45%, mantendo-se nesta maturidade a tendência de descida das taxas Euribor que remonta a Dezembro. A descida da Euribor a seis meses beneficia, principalmente, os portugueses que possuem crédito à habitação e que têm visto diminuir os encargos mensais com os mesmos. Baixam, por outro lado, as remunerações dos depósitos bancários.

A Euribor a três meses ficou inalterada nos 0,222%, depois de ter registado 37 sessões de quedas. Para o prazo de um mês a taxa interbancária continuou nos 0,117% após duas sessões a subir 0,1 pontos base.

Para o prazo de nove meses a taxa Euribor deslizou 0,1 pontos base para 0,576% e na maturidade mais longa, 12 meses, a mesma taxa cedeu 0,3 pontos base para 0,694%.

O mercado continua a aguardar pela reunião de Outubro do Banco Central Europeu (BCE), expectante de que a autoridade monetária possa realizar um novo corte da taxa de juro de referência da Zona Euro, fixada nos 0,75% desde Junho deste ano.

Existe também a possibilidade de que a remuneração paga pelo BCE pelos depósitos dos bancos no banco central passe para terreno negativo, segundo declarações recentes de Luc Coene, governador do banco central da Bélgica, com assento no conselho do Banco Central Europeu. Uma medida que visa incentivar as instituições financeiras a colocarem os seus depósitos noutros bancos e desta forma dinamizar o mercado interbancário.

O BCE já colocou a taxa de juro dos depósitos em 0%, eliminando assim a remuneração aos bancos que aí depositem dinheiro. Esta decisão também terá contribuído, na opinião de vários economistas, para que as Euribor sigam em queda.

As taxas Euribor têm vindo a deslizar e a renovar novos mínimos históricos consecutivos. A contribuir para estas descidas constantes, além dos cortes de juros por parte do BCE, estiveram outras medidas, como os empréstimos de longo prazo realizados pelo BCE à banca no final do ano passado e no início de 2012. Este crédito da autoridade monetária funciona como uma injecção de liquidez, aliviando a pressão sobre estas taxas, já que elas são os juros que os bancos cobram entre si para se financiarem.
Ver comentários
Saber mais Europa taxas interbancárias BCE banca crédito
Outras Notícias