Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Euro cai com dólar a consolidar ganhos dos últimos dias

O euro recuava 0,4% face ao dólar, com a moeda norte-americana a consolidar as recentes subidas, tendo acumulado uma valorização superior a 2% esta semana, beneficiando das expectativas de recuperação económica nos EUA.

João Mata 22 de Março de 2002 às 16:13
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
O euro recuava 0,4% face ao dólar, com a moeda norte-americana a consolidar as recentes subidas, tendo acumulado uma valorização superior a 2% esta semana, beneficiando das expectativas de recuperação económica nos Estados Unidos (EUA).

A divisa europeia [EUR] negociava nos 0,8793 dólares e registava uma subida de 0,24% relativamente à moeda nipónica, ao transaccionar nos 116,83 ienes.

Os analistas acreditam que a recuperação económica nos Estados Unidos já se iniciou e será mais acentuada que nos restantes principais blocos económicos mundiais, entre os quais a Zona Euro, o que tem estimulado a cotação do dólar.

Os últimos indicadores económicos apontaram para recuperações da indústria e do sector dos serviços nos EUA, bem como do mercado de trabalho, enquanto a inflação norte-americana tem dado sinais de estar controlada.

A Reserva Federal (FED) norte-americana já deixou a entender que poderá iniciar em breve um ciclo de subida das taxas de juro, que actualmente estão nos níveis mais baixos dos últimos 40 anos, o que reforçou o optimismo dos mercados relativamente à retoma dos EUA.

As descidas de juros efectuadas pelo FED no ano passado, que colocaram a sua taxa directora nos 1,75%, destinaram-se a suportar o consumo, minimizando os efeitos da recessão que se iniciou em Março de 2001 e que já terá terminado, segundo aquela instituição.

As previsões dos analistas apontam para um crescimento da economia norte-americana na ordem dos 4% no primeiro trimestre deste ano, depois do incremento de 1,4% registado nos últimos três meses de 2001.

Na Zona Euro, as estimativas da Comissão Europeia apontam para um crescimento do PIB num máximo de 0,4% no primeiro trimestre de 2002.

Ver comentários
Outras Notícias