Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Euro em alta aguarda subida de juros do BCE

O euro seguia a valorizar pela segunda sessão consecutiva com o mercado à espera que Jean Claude Trichet, no discurso de amanhã, assinale a necessidade de voltar a aumentar os juros na Zona Euro para controlar a inflação.

Negócios negocios@negocios.pt 01 de Março de 2006 às 16:35
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O euro seguia a valorizar pela segunda sessão consecutiva com o mercado à espera que Jean Claude Trichet, no discurso de amanhã, assinale a necessidade de voltar a aumentar os juros na Zona Euro para controlar a inflação.

O euro negociava acima dos 1,19 dólares, pelo segundo dia consecutivo, a subir 0,03% para os 1,1924 dólares.

O BCE deve decidir aumentar a taxa de juro de referência na Europa em 25 pontos base para 2,5%, de acordo com as previsões generalizadas do mercado. As estimativas de todos os 47 economistas contactados pela Bloomberg apontam nesse sentido.

No discurso que se segue à reunião do Conselho de Governadores da instituição, Jean Claude Trichet deverá indiciar mais aumentos dos juros ainda este ano, especulam os operadores, o que está a fazer o euro valorizar.

O mercado prevê que os juros na Zona Euro aumentem até aos 3%, este ano. A concretizar-se esta previsão, a taxa de referência atinge o valor mais elevado desde Dezembro de 2002.

Os dados económicos divulgados nos Estados Unidos esta tarde serviram para aliviar a tendência de subida da moeda europeia, pois suportam a perspectiva de que também do outro lado do Atlântico os juros vão subir.

O preço do dinheiro nos EUA está nos 4,5% e os economistas acreditam a reserva Federal poderá subir os juros até aos 5% este ano.

Os gastos das famílias nos EUA aumentaram o máximo em seis meses em Janeiro, impulsionados por uma subida na compra de automóveis. O índice da produção industrial nos Estados Unidos acelerou em Fevereiro, pela primeira vez desde Outubro, sugerindo que o investimento dos empresários poderá contribuir mais para o crescimento da economia deste ano.

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias