Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Euro fixa novo máximo à espera de reunião do BCE

A moeda europeia tem vivido sessões de forte valorização e tem fixado máximos consecutivos. Depois de, no início da sessão, ter negociado acima dos 1,53 dólares pela primeira vez desde que entrou em circulação, o euro tocou no valor mais alto de sempre ao

Raquel Godinho rgodinho@negocios.pt 06 de Março de 2008 às 11:06
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A moeda europeia tem vivido sessões de forte valorização e tem fixado máximos consecutivos. Depois de, no início da sessão, ter negociado acima dos 1,53 dólares pela primeira vez desde que entrou em circulação, o euro tocou no valor mais alto de sempre ao transaccionar nos 1,5347 dólares, enquanto aguarda a reunião mensal de política monetária do Banco Central Europeu (BCE).

O euro [eur] subia 0,44% para os 1,5332 dólares depois de já ter chegado aos 1,5347 dólares, poucas horas antes da reunião da autoridade monetária da Zona Euro. Nas últimas sessões, a negociação cambial tem sido marcada pela expectativa de que o BCE mantenha a taxa de juro na Zona Euro enquanto a Reserva Federal dos EUA deverá voltar a cortar o preço do dinheiro já a 18 de Março.

A expectativa do mercado está concentrada no discurso dos intervenientes na reunião do BCE, já que não se esperam alterações na taxa de juro. Espera-se que Jean-Claude Trichet reitere as suas preocupações com a inflação e a valorização da moeda única europeia.

O BCE vai manter a sua taxa de juro nos 4%, um máximo de seis anos, contrariando o movimento de corte da autoridade monetária dos EUA. Também o Banco de Inglaterra irá anunciar hoje a sua decisão, que também deverá manter os juros nos 5,25%, de acordo com os economistas consultados pela agência Bloomberg.

Também face à libra, o euro fixou um máximo histórico nos 76,90 pence.

A condicionar a negociação estarão, ainda, os números conhecidos, esta tarde, nos EUA, referentes à venda de casas. A expectativa é de que os números acrescentem motivos à necessidade de novos cortes de juros nos EUA.

Ver comentários
Outras Notícias