Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Euro perde mais de 2% e quebra barreira dos 1,31 dólares

A moeda única da Zona Euro acentuou a tendência de queda, tendo já negociado na casa dos 1,30 dólares. A pressionar a moeda única da Zona Euro estão as perspectivas de um corte de juros por parte do Banco Central Europeu (BCE).

Lara Rosa lararosa@negocios.pt 21 de Outubro de 2008 às 17:55
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
A moeda única da Zona Euro acentuou a tendência de queda, tendo já negociado na casa dos 1,30 dólares. A pressionar a moeda única da Zona Euro estão as perspectivas de um corte de juros por parte do Banco Central Europeu (BCE).

Contra a moeda da maior economia do mundo o euro perdia 1,76% para os 1,3109 dólares, depois de já ter tocado nos 1,3087 dólares, o valor mais baixo desde o dia seis de Março de 2007.

A pressionar o euro estão as perspectivas de um corte de juros por parte do BCE como forma de estimular a economia. Um possível corte de juros levaria a que o retorno dos investimentos denominados em euros fosse menor, o que reduziria a procura da divisa.

No início deste mês a autoridade monetária da Zona Euro, em conjunto com mais cinco bancos centrais, reduziu a taxa de juro em meio ponto percentual para os 3,75%.

A crise económica “vai levar a políticas mais agressivas por parte dos maiores países” afirmou Tom Fitzpatrick do Citigoup Global Markets citado pela Bloomberg. Fitzpatrick acrescentou que “o iene e o dólar vão ser os beneficiados.”

Também o vice-presidente da Putman Investments LLC, Paresh Upadhyaya, partilha da ideia de um fortalecimento das divisas norte-americana e japonesa, ao afirmar que “o elemento de aversão ao risco ajuda o dólar e o iene.”

Também a pressionar o euro estão as declarações de Ben Bernanke, que afirmou que os legisladores norte-americanos deviam considerar “medidas que ajudassem a melhorar o acesso ao crédito por parte dos consumidores, construtores, empresários” e outros.

Do outro lado do Atlântico surge ainda um outro suporte para o dólar, depois da “Casa Branca” ter afirmado que está “aberta” a ideias para um novo plano fiscal.
Ver comentários
Outras Notícias