Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Euro prolonga ganhos de ontem com investidores a anteciparem medidas pelo BCE

A moeda única está novamente a negociar em alta face ao dólar, animado por expectativas de que o BCE anuncie medidas que ajudem a contrariar o contagio da crise orçamental na Zona Euro.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 02 de Dezembro de 2010 às 08:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
O euro valoriza 0,16% para 1,3160 dólares e prolonga os ganhos de 1,2% de ontem, continuando a negociar animado por expectativas de que o Banco Central Europeu (BCE) anuncie hoje medidas destinadas a combater a subida das taxas de juro da dívida soberana e a evitar o contágio da crise orçamental europeia.

“Os mercados estão à espera de que BCE faça alguma coisa” disse responsável pela estratégia do ANZ National Bank, Khoon Goh, à Bloomberg. “O euro parece estar suportado, mas necessita de medidas concretas anunciadas pelo BCE e outros responsáveis”.

Os responsáveis do Conselho de Governadores do BCE reúnem hoje em Frankfurt, onde deverão decidir manter a taxa de juro de referência para a Zona Euro inalterada ao nível de 1%, de acordo com o inquérito da Bloomberg a 52 economistas. Entre as medidas que podem ser anunciadas está a do prolongamento do programa de concessão de empréstimos à banca.

“De certa forma o BCE está prisioneiro dos mercados financeiros” refere o economista-chefe para a Zona Euro do Citigroup, Juergen Michels, à Bloomberg. “Já que as medidas existentes não deverão ser suficientes para resolver os problemas na periferia, o BCE deverá ser forçado a aumentar os seus programas substancialmente”.

O avanço do euro face ao dólar ocorre hoje apesar do fortalecimento do dólar face a 11 das 16 divisas com que mais negoceia. A divisa norte-americana negoceia suportada pelo agravamento das tensões na Coreia do Norte e pelos dados económicos positivos divulgados pelo Livro Bege da Reserva Federal Norte-Americana.

“Os dados económicos recentes suportam o dólar”, disse o operador de mercados do Shinkin Central Bank, Takayuki Asahara, à Bloomberg. “Poderão esperar-se maiores ganhos se os dados do emprego de amanhã forem positivos”.

Ver comentários
Outras Notícias