Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Euro valoriza com perspectivas de aumento de juros

A moeda única da Zona Euro seguia a valorizar depois das declarações de um membro do Banco Central Europeu (BCE) que sugerem uma possível subida de juros de forma a controlar a inflação na região.

Lara Rosa lararosa@negocios.pt 22 de Abril de 2008 às 11:07

A moeda única da Zona Euro seguia a valorizar depois das declarações de um membro do Banco Central Europeu (BCE) que sugerem uma possível subida de juros de forma a controlar a inflação na região.

O euro [eur] valorizava 0,31% para os 1,5961 dólares a beneficiar das expectativas de que a taxa de juro na Zona Euro suba.

Foram hoje conhecidas as declarações de Christian Noyer, membro do Conselho de Governadores do BCE que admitiu que a autoridade monetária da Zona Euro irá actuar para travar a inflação se esta não abrandar no próximo ano. Estas declarações sugerem que o BCE poderá aumentar a taxa de juro de referência como medida para travar a subida dos preços.

A autoridade monetária da Zona Euro tem os 2% como meta para a inflação. Porém, no mês de Março os preços subiram 3,6%, o valor mais elevado dos últimos 16 anos.

A subida dos juros é um dos métodos para conseguir controlar a inflação sendo este o principal motivo para o BCE não ter seguido as políticas de corte de juros da Reserva Federal (Fed) norte-americana e do Banco de Inglaterra (BoE).

Com a taxa de juro mais elevada na Zona Euro, os investimentos denominados em euros tornam-se mais atractivos uma vez que os seus retornos são mais elevados que os dos investimentos em outras divisas.

A Fed, desde Setembro de 2007, quando a crise de crédito imobiliário de alto risco se instalou no mercado, já cortou a taxa de juro de 5,25% para os actuais 2,25%. Já o BoE procedeu a três cortes da sua taxa de juro de referência que se encontra nos 5%.

As medidas adoptadas pelas autoridades monetárias dos EUA e de Inglaterra surgiram no sentido de estimular a economia depois de estas começarem a abrandar em consequência da crise de "subprime".

Outras Notícias
Publicidade
C•Studio