Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Euro volta a negociar acima dos 1,24 dólares

O euro voltava a negociar acima dos 1,24 dólares, no dia em que Axel Weber, do conselho do Banco Central Europeu (BCE), disse que pode ser necessário aumentar as taxas de juro na Zona Euro e em que os analistas apontam para um abrandamento da subida de ju

Sara Antunes saraantunes@negocios.pt 24 de Abril de 2006 às 19:57
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O euro voltava a negociar acima dos 1,24 dólares, no dia em que Axel Weber, do conselho do Banco Central Europeu (BCE), disse que pode ser necessário aumentar as taxas de juro na Zona Euro e em que os analistas apontam para um abrandamento da subida de juros nos Estados Unidos.

O membro do conselho do BCE, Axel Weber, afirmou que pode ser necessário aumentar as taxas de juro para a Zona Euro devido aos riscos da inflação e ao ritmo de crescimento económico da região.

O euro [eur] subia 0,52% para os 1,2405 dólares, depois de ter tocado nos 1,2410 dólares o que representa o valor mais elevado desde Setembro de 2005.

«É óbvio que há riscos para a estabilidade de preços na Zona Euro», afirmou Axel Weber, membro do conselho do BCE em entrevista ao «Frankfurter Allgemeine Zeitung», citada pela Bloomberg.

O responsável acrescentou que o BCE não tem uma forma premeditada de actuação, «nem em relação ao tempo, nem ao tamanho da alteração à taxa de juro».

O BCE vai reunir no próximo dia 4 de Maio, mas não se prevê nenhuma alteração aos juros depois do presidente da autoridade monetária, Jean-Claude Trichet, ter dito que a convicção que o mercado estava a demonstrar em relação a uma subida de juros em Maio não se enquadrava na expectativa do BCE.

As declarações de Alez Weber surgem no dia em que as estimativas dos analistas consultados pela Bloomberg apontam para uma queda do dólar frente ao euro, numa semana em que se espera que os Estados Unidos divulguem uma queda na venda de casas e um abrandamento do crescimento da indústria.

Estas previsões (dos dados económicos) aumentam a especulação de que a Reserva Federal (Fed) dos EUA vá abrandar o ciclo de subidas de juros para o país, o que impulsiona o euro frente ao dólar, pois sugere que o diferencial das taxas de juro entre a Zona Euro e os Estados Unidos vai diminuir.

No Sábado, os ministros das finanças e os responsáveis dos bancos centrais do Grupo dos Sete (G7) reuniram e afirmaram ser fundamental permitir que as moedas da Ásia valorizem para diminuir o impacto nas exportações do crescimento dos preços do petróleo, o que também pressionou a negociação do dólar.

Outras Notícias