Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Euronext Lisbon contraria tendência de queda europeia

A bolsa nacional negociava a subir, com as três maiores empresas do índice a serem determinantes para contrariar a maioria das praças europeias. A EDP era quem mais contribuía para o crescimento do índice.

Pedro Viana pviana@mediafin.pt 10 de Fevereiro de 2004 às 11:37
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

As praças da Europa negociavam em queda, e o Dow Jones Stoxx 50 caía 0,42% para 2.716,72 pontos, com os valores da petrolífera British Petroleum (BP) a depreciarem depois da empresa ter apresentado resultados abaixo das estimativas. A UBS avançava depois de bater o recorde de dividendos.

Em Espanha, o IBEX [IBEX] avançava 0,08% para 8.141,60 pontos. A Iberdrola, segunda maior eléctrica espanhola que detém 5% da EDP e 4% da Galp Energia, seguia a desvalorizar 0,37% para 19,38 euros. A empresa anunciou um crescimento de 5,9% dos lucros referentes ao quarto trimestre de 2003 que ficaram, no entanto, aquém das expectativas.

Na Alemanha, o DAX [DAX] seguia a descer 0,08% para 4.095,49 pontos. O grupo HVB perdia 3,37% para 19,38 euros. O Financial Times noticia, na edição de hoje, que o segundo maior banco alemão está a estudar um financiamento de dois mil milhões de euros através da emissão de dívida e acções antes de recomeçar as conversações com o Commerzbank com vista à fusão dos dois bancos. O Commerzbank ganhava 2,58% para 15,93 euros.

Em França, o CAC-40 [CAC] seguia a cair 0,20% para 3.656,27 pontos. A Renault, o segundo maior construtor de automóveis francês, travava as descidas, ao crescer 1,70% para 53,9 euros, depois de ter divulgado um aumento de vendas impulsionadas pelo Megane Compact.

No Reino Unido, o FTSE [UKX] seguia a perder 0,57% para os 4.409,30 pontos. A BP, maior petrolífera europeia, perdia 3,51% para as 4,12 libras (16,02 euros) depois de ter apresentado resultados referentes ao quarto trimestre abaixo das expectativas, apesar de terem aumentado 7%.

Na Holanda, o AEX [AEX] perdia 0,14% para 354,99 pontos. A Philips contrariava as descidas, ao valorizar 3,56% para 25,89 pontos, depois de ter anunciado que o aumento da procura por televisores de ecrãs planos tem impulsionado os lucros, que aumentaram para 598 milhões de euros, superando os analistas.

Outras Notícias