A carregar o vídeo ...
Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Europa receia recessão económica nos Estados Unidos e cai perto de 3%

Os mercados europeus encerraram em forte queda depois de ser conhecido que o sector dos serviços norte-americano recuou para o nível mais baixo desde Outubro de 2001. Este dado vem aumentar os receios de uma recessão nos Estados Unidos. A National Semicon

Ana Luísa Marques anamarques@negocios.pt 05 de Fevereiro de 2008 às 17:30
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Os mercados europeus encerraram em forte queda depois de ser conhecido que o sector dos serviços norte-americano recuou para o nível mais baixo desde Outubro de 2001. Este dado vem aumentar os receios de uma recessão nos Estados Unidos. A National Semiconductor e a Heidelberger Druckmaschinen reviram em baixa as previsões para 2008.

O índice DJ Stoxx 50 [sx5p] caiu 2,96% para os 3.202,51 pontos, com 49 dos 50 títulos em queda. As maiores perdas ocorreram em Espanha, onde o Ibex [ibex] recuou 5,19% e na França, com o CAC 40 [cac] a recuar 3,96%.

O Dax [dax] desvalorizou 3,36%, o AEX [aex] deslizou 3,34% e o FTSE caiu 2,63%. A bolsa portuguesa não escapou a esta onda de pessimismo e recuou 3,48% para os 11.078,21 pontos.

Os mercados fecharam em forte queda depois de ser conhecido que o sector dos serviços norte-americano registou uma contracção inesperada em Janeiro, provocado pela quebra do sector imobiliário que deu origem a um arrefecimento dos gastos dos consumidores.

O índice ISM para os serviços, responsável por cerca de 90% da economia norte-americana, caiu para 41,9 pontos, o nível mais baixo desde Outubro de 2001. Este valor compara com os 54,4 pontos registados no mês anterior. Uma leitura inferior a 50 pontos corresponde a uma contracção. Com este dado aumentaram os receios de que a economia norte-americana esteja a entrar em recessão.

Na Europa, as maiores quedas estão a ocorreram no sector bancário, que recuou mais de 3,5% O Royal Bank of Scotland, o BNP Paribas, o Banco Santander, o Fortis e o BBVA perderam mais de 5%.

A ASML, maior produtora europeia de semicondutores, perdeu 3,58% e a Infineon, a segunda maior, caiu 2,91%. A CSR, produtora de "microchips" usados nos telemóveis da Nokia, perdeu 7,74% para os 489 pence.

Estas quedas ocorreram depois da National Semiconductor, produtora norte-americana de "chips" para empresas como a Apple, ter revisto em baixas as previsões de vendas para o primeiro trimestre do ano. A National Semiconductor caiu 6,78% para os 17,73 dólares.

A ARM Holdings, que produz "chips" para a Intel, caiu 20,13% para os 94,25 pence, a maior queda desde Outubro de 2002, depois de ter anunciado que os lucros do último trimestre de 2007 caíram 15% para os 9,86 milhões de libras.

A Heidelberger Druckmaschinen, maior produtora mundial de impressoras, perdeu 15,94% para os 16,66 euros, a maior queda desde Outubro de 2001. A empresa anunciou que os lucros caíram para os 42,3 milhões de euros, devido à queda de pedidos do mercado norte-americano.

Ver comentários
Outras Notícias