Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

“Falta de entendimento dos accionistas do BCP compromete plano estratégico”

A Standard & Poor’s baixou hoje o "outlook" para a dívida do BCP de "positivo" para "estável", já que os "persistentes desacordos entre os accionistas do banco estão a impedir a gestão de focalizar na implementação do plano estratégico".

Pedro Carvalho pc@mediafin.pt 28 de Novembro de 2007 às 18:04
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A Standard & Poor’s baixou hoje o "outlook" para a dívida do BCP de "positivo" para "estável", já que os "persistentes desacordos entre os accionistas do banco estão a impedir a gestão de focalizar na implementação do plano estratégico".

Numa nota publicada hoje, a Standard & Poor’s (S&P) diz que baixou o "outlook" para a dívida do Banco Comercial Português (BCP) [BCP] e de algumas subsidiárias.

No entanto, a notação de "A" para a dívida de longo prazo e de "A-1" para o endividamento de curto prazo foram reiteradas.

Para justificar a alteração no "outlook", a agência de notação financeira cita os "persistentes desacordos entre os accionistas do banco que estão a impedir a gestão de focalizar na implementação do plano estratégico".

Esta factor leva a S&P a dizer que os resultados da implementação do plano estratégico poderão levar mais tempo do que o previsto, o que torna pouco plausível um "upgrade" da qualidade da dívida a curto prazo.

No dia do investidor em Junho deste ano, o então CEO Paulo Teixeira Pinto apresentou o programa "Millennium 2010" com metas até ao final da década.

Com a saída do presidente executivo, que foi substituído por Filipe Pinhal, a gestão do "dossier" do plano estratégico foi entregue a Paulo Macedo, o anterior director geral dos impostos.

"Instabilidades adicionais na estrutura accionista e a nível da gestão podem [...] até vir a colocar o ‘rating’ sob pressão e baixar o compromisso do banco na manutenção de uma disciplina de capital", comenta a S&P.

No entanto, a agência elogia a posição "dominante" do BCP no mercado português, a estratégia de diversificação geográfica e a qualidade dos activos.

Ver comentários
Outras Notícias