Mercados num minuto Fecho dos mercados: Bolsas europeias sem rumo. Juros portugueses caem há 5 sessões

Fecho dos mercados: Bolsas europeias sem rumo. Juros portugueses caem há 5 sessões

Num dia sem tendência definida para os mercados europeus, Lisboa fechou a perder. Os juros portugueses destacam-se ao aliviarem pela quinta sessão.
Fecho dos mercados: Bolsas europeias sem rumo. Juros portugueses caem há 5 sessões
Reuters

Os mercados em números

PSI-20 perdeu 0,35% para 5.202,23 pontos

Stoxx 600 apreciou-se em 0,12% para 387,25 pontos

S&P500 valorizou 0,15% para 3.002 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos aliviaram 1,7 pontos base para 0,449%

Euro recua 0,51% para os 1,1210 dólares

Petróleo em Londres sobe 0,21% para os 62,06 dólares por barril

Bolsas sem rumo com Itália a liderar perdas

As principais bolsas do Velho Continente negociaram sem tendência definida na sessão desta sexta-feira, 19 de julho, com fatores a influenciarem tanto negativa como positivamente.

O índice de referência europeu Stoxx600 terminou o dia com uma subida de 0,12% para 387,25 pontos, tendo alternado entre ganhos e perdas ao longo da sessão. Já o lisboeta PSI-20 perdeu 0,35% para 5.202,23 pontos, sobretudo pressionado pela desvalorização superior a 2% do BCP.

Por um lado, o discurso de um membro da Reserva Federal dos Estados Unidos deu força a um cenário de descida da taxa de juro diretora norte-americana ainda em julho, o que foi encarado como positivo pelos mercados bolsistas.

Por outro, as quedas da banca europeia e a desvalorização da bolsa italiana contribuíram para contrabalançar o otimismo dos investidores. O índice milanês perdeu mais de 2% numa altura em que o governo transalpino atravessa nova crise na relação entre os líderes dos dois partidos que integram o governo, Matteo Salvini (Liga) e Luigi Di Maio (5 Estrelas). 


Juros caem há cinco sessões

Os juros da dívida portuguesa a dez anos aliviaram 1,7 pontos base para 0,449%, contabilizando a quinta sessão consecutiva em quebra. Na Alemanha a tendência foi equivalente, com os juros das obrigações soberanas para a mesma maturidade a deslizarem 1,5 pontos base para os 0,327 negativos. Desta forma, o prémio das obrigações portuguesas face às germânicas coloca-se nos 77,6 pontos base.

 

Discurso da Fed trama euro

A moeda única europeia segue a perder 0,51% para os 1,1210 dólares, invertendo a tendência de duas sessões de subidas. O euro perde força face à nota verde devido sobretudo ao intensificar da expectativa de um corte de juros pela Reserva Federal norte-americana. O presidente da Fed de Nova Iorque, John Williams, sublinhou esta quinta-feira, 17 de julho, a necessidade de uma mudança de ação se os responsáveis pela política monetária dos EUA concluírem que a economia está em apuros.

 

Petróleo inverte para ganhos

O barril de Brent, negociado em Londres e referência para a Europa, está a valorizar 0,21% par os 62,06 dólares. A matéria-prima interrompe desta forma um ciclo de quatro sessões no vermelho, embora a subida não seja suficiente para eliminar o saldo negativo acumulado na semana. O otimismo volta a este mercado depois de os Estados Unidos anunciarem que destruíram um drone iraniano perto do Estreito de Ormuz, um dos principais focos de comércio de petróleo, reavivando receios quanto à escassez de oferta.

 

Ouro atinge pico mas abandona rally

O metal amarelo contou duas sessões de subidas substanciais – acima de 1% - e, nesta sessão, chegou a valorizar 0,48% para os 1.453, 09 dólares por onça, um máximo de 2013. Contudo, acabou por abandonar o terreno positivo e segue a perder 1,24% para os 1428,20 dólares.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI