Bolsa Fed retira ganhos a Wall Street

Fed retira ganhos a Wall Street

As bolsas norte-americanas ganharam ímpeto pelas 19:00 de Lisboa, quando foram divulgadas as actas da reunião da Fed de 30 e 31 de Janeiro. No entanto, no caso do Dow Jones e do S&P 500, foi "sol de pouca dura" e pouco depois entraram em terreno negativo. O Nasdaq também fechou no vermelho, mas por arrasto e com uma descida pouco expressiva. As actas não trouxeram grandes novidades e referem que o banco central continua a ter boas perspectivas para o crescimento económico e inflação dos EUA, mantendo assim a trajectória de subida dos juros directores.
Fed retira ganhos a Wall Street
EPA
Carla Pedro 21 de fevereiro de 2018 às 21:19

O Dow Jones fechou a cair 0,67%, para se fixar nos 24.797,78 pontos, e o Standard & Poor’s 500 seguiu a mesma tendência, a recuar 0,55% para 2.701,33 pontos.

 

O tecnológico Nasdaq Composite seguiu a mesma tendência, entrando em terreno negativo nos últimos minutos de negociação, mas com uma descida pouco acentuada: deslizou 0,22%, para 7.218,23 pontos.

 

Às 19:00 de Lisboa foram divulgadas as actas da reunião de 30 e 31 de Janeiro da Fed, a última presidida por Janet Yellen, que mostram que os responsáveis pela política monetária antecipam um crescimento económico mais robusto e que a linha de subida gradual dos juros se mantém.

 

Com poucas surpresas, as actas não tiveram efeito imediato em Wall Street, que manteve o movimento de subida. Mas foi por pouco tempo, no caso do Dow Jones e do S&P 500 – tendo o Nasdaq seguido a tendência somente nos últimos minutos de transacção.

 

A maior convicção da Fed de que a inflação subirá e atingirá a meta que definiu (2%) levou a que se intensificasse a perspectiva de que o novo presidente da Reserva Federal, Jerome Powell, instará os restantes membros a apoiarem uma subida dos juros já na reunião de Março, sublinha a Reuters.

 

Esta possibilidade deixou os investidores mais prudentes, o que levou a que as bolsas do outro lado do Atlântico cedessem os ganhos e entrassem no vermelho, se bem que com recuos ligeiros.

 

Tecnologias alheias às perdas

 

No sector tecnológico, a tendência foi diferente, num clima de "ouro sobre azul" tal como na sessão de ontem. Isso não impediu que o Nasdaq, contagiado pelas principais congéneres, fechasse no vermelho, mas a boa performance da maioria das suas cotadas manteve o índice quase à tona.

 

Continua a reforçar-se a convicção de que as tecnológicas irão beneficiar bastante com os cortes de IRC nos EUA, no âmbito da reforma fiscal da Administração Trump aprovada em Dezembro, o que está atrair mais investidores para estas cotadas.

 

Entre os destaques de hoje estiveram os desempenhos da Amazon, que atingiu um máximo histórico nos 1.503,49 dólares, e a Netflix.

 

A retalhista online Amazon encerrou a valorizar 0,99% para 1.482,92 dólares, mas chegou a estar a subir mais de 2% e a tocar nos 1.500 dólares pela primeira vez na sua história.

 

Por seu lado, a plataforma de televisão Netflix ganhou 0,89% no fecho da sessão, para 281,04 dólares, mas chegou a atingir os 286,64 dólares, muito perto do seu máximo histórico de 286,81 dólares.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Deacon 01.03.2018

Areclits like this make life so much simpler.

pub