Bolsa Fusão da Deutsche Borse e LSE enfrenta oposição

Fusão da Deutsche Borse e LSE enfrenta oposição

A fusão entre as gestoras da bolsa londrina e de Frankfurt está a suscitar reservas na Alemanha, relata o Financial Times. A saída do Reino Unido da União Europeia é uma preocupação.
Fusão da Deutsche Borse e LSE enfrenta oposição
Bloomberg
Vera Ramalhete 11 de abril de 2016 às 12:13

A possível saída do Reino Unido da União Europeia é um problema para a fusão da Deutsche Börse e da London Stock Exchange (LSE), consideram deputados alemães, ouvidos pelo Financial Times (FT).

"É um problema se a sede da empresa ficar situada fora da Zona Euro e, no caso do Brexit se concretizar, fora da União Europeia", disse Ulrich Caspar ao jornal britânico. Seria prejudicial para o "desenvolvimento de Frankfurt enquanto centro financeiro", diz o deputado do parlamento de Hesse, em Frankfurt.

A operação iniciada em Fevereiro será efectuada através de troca de acções. Os accionistas da LSE ficarão com 45,6% do capital da nova companhia, enquanto os donos da bolsa alemã deterão os restantes 54,4%. A sede será em Londres – o motivo da contestação alemã, que pretendia que a sede ficasse em Frankfurt. Como argumento, os defensores realçam que a praça alemã tem uma capitalização bolsista superior.

"O perigo para Frankfurt é que a sede das duas praças accionistas deixe de estar num centro financeiro internacional, mas numa cidade em que a relevância internacional esteja em declínio", defendeu o deputado alemão, Clemens Reif, citado pelo Financial Times.

Segundo o Financial Times, o distrito alemão poderá procurar que o regulador bloqueie a fusão que dará origem à empresa dominante no mercado bolsista europeu, avaliada em 30 mil milhões de dólares, caso considere que ameaça a capacidade de Frankfurt de operar uma bolsa de valores.

As acções das gestoras estão a desvalorizar esta segunda-feira. A Deutsche Börse recua 1,14% para 70,86 euros. A LSE perde 1,03% para 2.799 pences. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI