Bolsa Galp Energia trava subidas no PSI-20

Galp Energia trava subidas no PSI-20

A bolsa nacional está a negociar na linha de água neste arranque de sessão. A Galp é uma das cotadas que desvaloriza depois do petróleo ter afundado quase 7% ontem.
A carregar o vídeo ...
Tiago Varzim 12 de julho de 2018 às 08:10
O PSI-20 abriu a sessão a desvalorizar ligeiramente: -0,02% para os 5.635,94 pontos. Num momento em que as bolsas lá fora recuperam das perdas de ontem, a praça nacional ainda não tem rumo definido. A Galp é uma das cotadas que desvaloriza depois do barril de petróleo negociado em Londres ter afundado quase 7% esta quarta-feira. EDP, EDP Renováveis e Jerónimo Martins também dão contributo negativo.

No arranque da sessão desta quinta-feira há sete cotadas a subir, sete a descer e quatro inalteradas. O PSI-20 negoceia em terreno negativo, mas os pares europeus que já iniciaram a negociação estão em terreno positivo. O Stoxx 600, o índice que agrega as 600 principais cotadas europeias, está a subir 0,25% para os 382,30 pontos. Além disso, as bolsas asiáticas fecharam em alta recuperando das quedas pesadas da sessão anterior.

As novas tarifas dos EUA à China voltaram a fazer estragos nas bolsas, assim como o regresso da Líbia às exportações de petróleo que afundou a cotação do "ouro negro". Já nesta sessão o petróleo negociado em Londres está a recuperar 1,59%, mas transacciona abaixo dos 75 dólares.

É justamente o sector energético da praça lisboeta um dos que desvaloriza. "A Galp poderá ser alvo de uma pressão vendedora", antecipavam os analistas do BPI no diário de bolsa. De facto, a Galp Energia desce 0,47% para os 16,93 euros, a EDP desvaloriza 0,17% para os 3,499 euros e a EDP Renováveis desliza 0,06% para os nove euros. Já a Jerónimo Martins interrompe um ciclo de seis sessões consecutivas de subidas: a cotada está a cair 0,35% para os 12,665 euros. 

"A queda do petróleo também deverá renovar a pressão sobre algumas economias emergentes  onde  as  empresas  portuguesas  operam", explicam ainda os analistas do banco, referindo que uma das cotadas que está exposta "bastante  permeável ao sentimento dos investidores globais em relação aos mercados emergentes" é a Mota-Engil que, neste início de sessão, está a recuperar das perdas das sessões anteriores.

Nas subidas o destaque vai para a Altri que, depois de ter atingido um novo máximo histórico na última sessão, continua a valorizar. As acções da papeleira valorizam 0,95% para os 9,15 euros, acumulando ganhos há cinco sessões consecutivas. Também o BCP negoceia em alta. 

(Notícia actualizada pela última vez às 8h24)