Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Galp sobe mais de 2% e leva bolsa nacional a ganhar mais de 1%

A bolsa nacional fechou a última sessão da semana a subir mais de 1%, num dia em que a Galp Energia avançou mais de 2%, a beneficiar em grande parte da subida dos preços do petróleo. O PSI-20 acompanhou assim a evolução dos principais congéneres europeus, que foram hoje impulsionados por dados económicos mais animadores.

Sara Antunes saraantunes@negocios.pt 01 de Abril de 2010 às 16:45
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...
A bolsa nacional fechou a última sessão da semana a subir mais de 1%, num dia em que a Galp Energia avançou mais de 2%, a beneficiar em grande parte da subida dos preços do petróleo. O PSI-20 acompanhou assim a evolução dos principais congéneres europeus, que foram hoje impulsionados por dados económicos mais animadores.

O PSI-20 subiu para 8.185,01 pontos, com 19 acções em alta e uma inalterada, num dia em que os congéneres europeus avançaram, em muitos casos, mais de 1%. A animar a sessão estiveram dados económicos divulgados pela China, pela Índia, pela Europa e pelos EUA.

Foi hoje divulgado que a actividade industrial está a acelerar na Europa, China, Índia e EUA. Além de ter sido ainda divulgado que o número de norte-americanos que pediram subsídio de desemprego na semana passada decresceu e levou a média do número de pedidos a descer para o valor mais baixo desde 2008, à medida que a recuperação económica leva as empresas a reterem pessoal.

Indicadores que estão a sustentar as bolsas dos dois lados do Atlântico, com os investidores a demonstrarem maior confiança na recuperação da economia.

Por cá, a Galp Energia foi a acção que mais contribuiu para a evolução do índice, ao subir 2,10% para 13,13 euros, num dia em que os preços do petróleo estão a subir mais de 1% e a negociar acima dos 83 dólares em Londres, atingindo o valor mais elevado dos últimos 17 meses.

Com a subida de hoje a Galp Energia atingiu um novo máximo de Setembro de 2008.

A banca, que tem sido fustigada por cortes de “ratings” e pelas preocupações relativas às contas públicas, contribuiu hoje para os ganhos no índice. O BES avançou 1,85% para 4,074 euros, o BCP ganhou 1,21% para 0,834 euros e o BPI cresceu 0,97% para 1,987 euros.

A casa de investimento Macquarie considera o Banco Espírito Santo (BES) uma "exposição atractiva", considerando que o foco da instituição no sector empresarial confere uma "boa alavancagem para mitigar a pressão das margens".

A única acção que não fechou a valorizar foi a Portugal Telecom que ficou estável em 8,278 euros. Já a Zon e a Sonaecom encerraram a subir 0,34% para 3,809 euros e 1,25% para 1,618 euros, respectivamente.

O sector da energia também contribuiu para a subida do índice, com a EDP a subir 0,54% para 2,959 euros e a EDP Renováveis a avançar 1,12% para 5,85 euros, no dia em que a empresa de energias renováveis foi alvo de notas de análise.

A casa de investimento Kepler subiu o preço-alvo da Renováveis de 8,23 euros para 8,77 euros, com recomendação de “comprar”, enquanto o Millennium investment banking reduziu a sua avaliação para a empresa liderada por Ana Maria Fernandes, o que o levou também a cortar o preço-alvo para a EDP. Apesar dos cortes efectuados pelo Millennium, as novas avaliações continuam a representar um potencial de subida superior a 20% quer no caso da EDP Renováveis, quer no caso da EDP. E a recomendação, para as duas acções, foi mantida em “comprar”.


Veja também:

As cotações de todas as acções da Bolsa portuguesa

O resumo do dia do índice PSI-20

As maiores subidas e maiores descidas do PSI-20

Os preços-alvo para as cotadas portuguesas

As estatísticas das acções portuguesas

A análise técnica de todas as cotadas portuguesas

A evolução de todos os fundos comercializados em Portugal



Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias