Bolsa Ganhos da Galp e do sector do papel impulsionam PSI-20

Ganhos da Galp e do sector do papel impulsionam PSI-20

A praça lisboeta encerrou a valorizar. A contribuir para esta subida esteve a Galp, que subiu mais de 1% e o sector do papel, com a Altri, Navigator e Semapa a baterem novos máximos históricos.
A carregar o vídeo ...
Raquel Murgeira 06 de junho de 2018 às 16:40

A bolsa nacional encerrou a sessão desta quarta-feira, 6 de Junho, com uma subida de 0,52% para 5.613,46 pontos, com 10 cotadas a negociar em alta, seis em queda e duas inalteradas.

O PSI-20 subiu assim pelo sexto dia consecutivo, numa sessão marcada por uma tendência pouco definida entre as bolsas europeias. O Stoxx600, o índice que agrega as 600 maiores cotadas europeias, descia 0,03%, oscilando entre ganhos e perdas ligeiros. A condicionar a negociação bolsista na Europa continua Itália e os receios em torno da política que será seguida pela coligação entre o Movimento 5 Estrelas e a Liga. 

A sustentar a subida da bolsa nacional esteve a Galp Energia ao avançar 1,47% para os 16,175 euros, num dia de queda do petróleo no mercado internacional. O Brent, referência para Portugal, desce 1,78% para 73,95 dólares, depois de o governo dos EUA ter pedido discretamente à Arábia Saudita e outros produtores da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) para aumentarem a sua produção em cerca de um milhão de barris por dia.

 

A impulsionar o fecho da praça lisboeta esteve o sector do papel que continua a brilhar, renovando máximos históricos. A Semapa avançou 2,25% para 22,75 euros no quarto dia seguido de ganhos para a cotada que hoje tocou nos 23,55 euros, o valor mais alto de sempre. A Navigator somou 0,80% para 5,64 euros. A cotada chegou a negociar nos 5,68 euros atingindo assim um novo recorde. A Altri valorizou 2,25% para 8,18 euros, depois de hoje ter estabelecido um novo máximo histórico de 8,19 euros.

 

A contribuir para os ganhos esteve também o BCP, ao subir 0,26% para os 0,269 euros.

 

A Sonae encerrou a subir 3,67% para os 1,103 euros, isto depois de a Outsystems ter angariado 360 milhões de dólares através do Goldman Sachs e da KKR, o que deverá influenciar positivamente a Sonae SGPS através da Armilar, accionista da Outsystems, que é detida em quase metade do capital pela Sonae SGPS, explicou o BPI em nota de análise.

 

Já a Ibersol que encerrou a perder 3,59% para 10,75 euros, depois de ter reportado terça-feira, já após o fecho do mercado, lucros de 3,47 milhões de euros no primeiro trimestre de 2018, uma escalada de 70,3% face ao mesmo período do ano passado. Este resultado líquido superou as estimativas do CaixaBI, que apontava para lucros de 2,6 milhões de euros.

 

A Corticeira Amorim também fechou a sessão a cair 1,55% para os 11,40 dólares.

 

(Notícia actualizada às 17:00 com mais cotações)




Marketing Automation certified by E-GOI