Bolsa Goldman: Wall Street pode afundar 25% se juros atingirem os 4,5% até ao fim do ano

Goldman: Wall Street pode afundar 25% se juros atingirem os 4,5% até ao fim do ano

Os juros dos EUA têm subido, atingindo, em alguns casos máximos. O Goldman Sachs elaborou alguns cenários em relação aos juros e conclui que se os juros atingirem os 4,5% até ao final do ano, as bolsas perderão até 25% do seu valor.
Goldman: Wall Street pode afundar 25% se juros atingirem os 4,5% até ao fim do ano
EPA
Negócios 25 de fevereiro de 2018 às 17:24

A taxa de juro associada à dívida a 10 anos dos EUA tem registado subidas recentemente, muito devido à especulação em torno do ritmo de subida de juros no país. Esse contexto chegou a ditar quedas acentuadas nas bolsas dos EUA, que depois se repercutiram no resto do mundo. Os receios acalmaram e as quedas nas bolsas também. Mas o Goldman Sachs não exclui novas subidas dos juros e consequentes descidas das bolsas, que poderão ser significativas, de acordo com a Bloomberg.

 

O cenário central do Goldman Sachs aponta para que a taxa de juro das obrigações dos EUA a 10 anos suba para 3,25%, no final do ano. Actualmente está abaixo dos 2,9% (o que já representa um máximo de quatro anos).

 

Mas o banco de investimento realizou testes de stress, apontando para uma subida de juros para os 4,5%, o que ditaria quedas acentuadas nas bolsas americanas

 

"Uma subida de juros para 4,5% até ao final do ano, poderá causar uma queda no preço das acções entre 20% a 25%", revela o Goldman Sachs numa nota citada pela Bloomberg. Estes cálculos têm por base o pico atingido pelo S&P500 no final de Janeiro (2.872,87 pontos).

 

O economista que assina a nota, Daan Struyven, admite que a economia também sofreria uma queda pronunciada, mas afasta o cenário de recessão.




pub