Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Grécia emitiu quatro mil milhões de dívida a três meses

O Governo de Atenas levou a cabo uma colocação de dívida pública no mercado primário, esta terça-feira, e cumpriu o objectivo de financiar o reembolso de obrigações que se vencem no final do mês.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 14 de Agosto de 2012 às 12:11
  • Assine já 1€/1 mês
  • 6
  • ...
O executivo liderado por Antonis Samaras leiloou Bilhetes do Tesouro com maturidade de 13 semanas e conseguiu financiar-se em 4,06 mil milhões de euros. A taxa de juro média implícita nos títulos de dívida vendidos foi de 4,46%, segundo os dados da Agência de Gestão da Dívida Pública citados pela Bloomberg.

O objectivo desta emissão era o de financiar o reembolso 3,2 mil milhões de euros em obrigações que se vencem no final do mês. A leilão foram obrigações com valor de 3,125 mil milhões de euros mas a operação foi seguida de duas rondas de fase não competitiva em que os bancos tiveram a possibilidade fazer ofertas à última taxa que o Tesouro aceitou financiar-se no leilão.

Com esta segunda fase de financiamento, a Grécia esperava aumentar o limite de financiamento até um máximo de cinco mil milhões de euros.

A assegurar o sucesso do leilão terão estado os próprios bancos gregos, que têm actualmente a possibilidade de utilizar os Bilhetes do Tesouro como colateral para contrair empréstimos junto do Banco Central Europeu.

“Os bilhetes vão ser absorvidos pelos bancos gregos, que vão ter acesso a liquidez através da apresentação dos títulos como colateral nas operações de Assistência de Liquidez de Emergência”, disseram analistas do Rabobank.

Esta operação foi levada a cabo com o acordo do BCE, para evitar que a Grécia incumprisse o pagamento da dívida que se vence no final do mês.
Ver comentários
Saber mais Grécia dívida leilão Bilhetes do Tesouro
Outras Notícias