Análise Técnica IMF – Desenvolvimentos no Parlamento britânico suportam libra

IMF – Desenvolvimentos no Parlamento britânico suportam libra

Desenvolvimentos no Parlamento britânico sustentam subida da libra; Eur/Usd ressalta em novos mínimos de 28 meses, próximo dos $1.09; Crude consolida nos $53-$57; Ouro recua de volta aos $1500/onça.
IMF – Desenvolvimentos no Parlamento britânico suportam libra

Desenvolvimentos no Parlamento britânico sustentam subida da libra

As turbulências políticas no Reino Unido permanecem, assim como as incertezas sobre o Brexit. Boris Johnson tem sofrido algumas derrotas acompanhadas pela perda de maioria no Parlamento britânico, após Phillip Lee ter mudado para a bancada do Partido Liberal-Democrata. A moção para evitar a saída de um Brexit sem acordo foi aprovada pelos deputados quer da Câmara Alta quer da Câmara Baixa, mesmo após o próprio Boris Johnson ter indicado que caso um Conservador votasse contra o governo seria expulso. Durante a semana apesar de as eleições antecipadas terem sido votado contra, o partido da oposição (Trabalhistas) indicou que após as legislações terem sido aprovadas avançará a favor dessa antecipação.

Tecnicamente, o Eur/Gbp segue com uma perspetiva bearish, sendo que uma quebra em baixa dos £0.89 intensificará ainda mais o viés de venda. No entanto, o teste a esse nível deverá ser acompanhado por níveis oversold e o MACD poderá inverter o sinal de venda, levando o par a corrigir em alta antes de dar seguimento às quedas.

Eur/Usd ressalta em novos mínimos de 28 meses, próximo dos $1.09

O Eur/Usd após ter renovado mínimos de 28 meses, acabou por ressaltar libertando alguma da pressão em que se inseria. O par recuperou para máximos de uma semana, suportado pelos comentários de Lagarde, a diminuição da tensão política na Itália e de o PMI industrial nos EUA ter contraído pela primeira vez. A futura presidente do BCE indicou que apesar de uma política acomodatícia ser necessária, o BCE tem obrigatoriamente de estar atento ao impacto negativo e aos efeitos secundários desta. Por outro lado, os fracos dados na Alemanha continuam a alimentar os receios de recessão no terceiro trimestre pesando sobre o euro.

Tecnicamente, o Eur/Usd encontrou suporte ligeiramente acima dos $1.09 e acabou por ressaltar levando o par a afastar o nível oversold e aumentando a possibilidade de um teste à linha de tendência descendente. No entanto, apesar desta correção, o par mantém a perspetiva bearish no curto-prazo.


Crude consolida nos $53-$57

O preço do barril de petróleo tem vindo a consolidar entre os $53.50 e os $57.20, à medida que segue sem tendência bem definida. Por um lado, o petróleo foi inicialmente pressionado pela tensão comercial verificada no início da semana, pelo facto da produção de petróleo da OPEP e Rússia ter subido em agosto pela primeira vez este ano e devido à contração do PMI industrial nos EUA. No entanto, algum otimismo começou a surgir, após a China ter indicado que irá encontrar-se com os EUA para negociações em outubro e que ambos irão tentar condições favoráveis para tal. Adicionalmente, alguns dados robustos quer na economia norte-americana quer na chinesa deram ainda mais impulso ao barril de petróleo, tendo o mesmo recuperado das perdas do início da semana.

Tecnicamente, o crude segue sem tendência definida, à medida que vai consolidando entre os $53.50 e os $57. No entanto, a pressão bearish foi afastada após a quebra em alta do canal descendente. Um rompimento dos $57 poderá trazer impulso ao ouro negro e levá-lo aos $58.50.

Ouro recua de volta aos $1500/onça

O ouro acabou por ser pressionado esta semana com os mais recentes desenvolvimentos em torno da guerra comercial e do Brexit. Os relatos de que a EUA e a China irão retomar negociações já em outubro e o facto de no Reino Unido a moção para evitar um Brexit sem acordo e a perda de maioria de Boris Johnson, foram bem acolhidos pelo mercado, levando o próprio a ganhar um maior apetite pelo risco.

Tecnicamente, o metal precioso poderá estar a definir um máximo de ciclo, podendo o mesmo voltar a testar os $1480/onça em breve. O MACD sustenta essa descida. No entanto, esta descida não deverá passar de uma correção, porque a pressão bullish ainda permanece.


As análises técnicas aqui publicadas não pretendem, em caso algum, constituir aconselhamento ou uma recomendação de compra e venda de instrumentos financeiros, pelo que os analistas e o Jornal de Negócios não podem ser responsáveis por eventuais perdas ou danos que possam resultar do uso dessas informações. Caso pretenda ver esclarecida alguma dúvida acerca da Análise Técnica, por favor contactar a IMF ou o Jornal de Negócios.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI