Trading IMF – Eur/Gbp aguarda por desenvolvimentos no Reino Unido

IMF – Eur/Gbp aguarda por desenvolvimentos no Reino Unido

Eur/Gbp consolida com o mercado a aguardar por desenvolvimentos sobre Brexit e eleições antecipadas; Otimismo comercial leva Eur/Usd para mínimos de três semanas; Crude consolidou entre os $56 e $57 ao longo da semana; Ouro rompe finalmente o suporte dos $1480/onça.
IMF – Eur/Gbp aguarda por desenvolvimentos no Reino Unido

Eur/Gbp consolida com o mercado a aguardar por desenvolvimentos

O Eur/Gbp segue a consolidar após os recuos desde meados de agosto, tendo o par recuado de £0.93 para £0.86. Estas quedas deveram-se a um maior otimismo por parte do mercado relativamente ao Brexit e aos seus desenvolvimentos. Contudo, após o acordo ter sido aprovado e Johnson ter pedido por eleições antecipadas, os investidores posicionaram-se com cautela a possíveis acontecimentos futuros. Mais recentemente, o BoE manteve as taxas de juro em 0.75%. No entanto, dois membros votaram a favor de um corte. Carney afirmou que o Banco continua a acreditar que a situação se irá estabilizar, mas enfatizou que caso as perspetivas se deteriorem um corte será o mais provável.

Tecnicamente, o Eur/Gbp segue com perspetivas de uma ligeira correção acima dos £0.87, mas os indicadores técnicos não dão sinais seguros, à medida que o par consolida em torno do suporte dos £0.86. Na eventualidade de uma quebra deste suporte, um teste aos £0.85 acontecerá muito facilmente.



Otimismo comercial leva Eur/Usd para mínimos de três semanas

Na Alemanha, o mais recente dado divulgado dá uma perspetiva ligeira diferente sobre o estado da maior economia alemã. As exportações germânicas subiram 1.5% m/m em setembro, recuperando da queda de 0.9% em agosto, ao ritmo mais elevado desde novembro de 2017. No entanto, a produção para o mesmo mês caiu 0.6%, sustentando a perspetiva que a economia terá entrado em recessão no terceiro trimestre. Do lado do dólar, o mesmo tem sido suportado nas duas vertentes. Com o intensificar das tensões comerciais, o mercado tende a refugiar-se no dólar. No entanto, com recente aliviar da guerra comercial, o mercado continuou a comprar dólares, visto que é benéfico para a economia norte-americana, tendo inclusivo levado o Eur/Usd para mínimos de três semanas.

Tecnicamente, o Eur/Usd acabou mesmo por confirmar a formação de um duplo topo, tendo intensificado as perspetivas bearish. O rompimento dos 38.2% de retração de fibonacci levou o par a testar níveis próximos dos $1.1000. No entanto, no curto-prazo, existe a possibilidade de o par continuar a recuar, podendo não conseguir encontrar suporte nos $1.0950.



Crude consolidou entre os $56 e $57 ao longo da semana

Os preços do crude transacionaram num intervalo curto ao longo da passada semana entre os 56 e os 57 dólares por barril. A suportar a matéria-prima destacou-se o otimismo na frente comercial EUA-China, após as indicações de que as duas potências concordaram em remover de forma faseada as tarifas implementadas ao longo da guerra comercial. No entanto, é de notar que na tarde de sexta-feira Trump indicou que "não concordou em retirar tarifas". Já o aumento de 7,929 milhões de barris dos inventários de crude norte-americanos, quando se esperava "apenas" 1,155 milhões, limitou as potenciais subidas do ouro negro.

Tecnicamente, o crude quebrou em alta os $55.6 (38.2% de retração de fibonacci) acabando mesmo por testar os $57 (50.0% de retração de fibonacci). No entanto, o crude tem falhado o teste e consolidado entre os dois níveis. O sinal de compra do MACD aparenta estar a perder a intensidade, dando a indicação que a matéria-prima poderá recuar até à linha inferior do canal ascendente (verde tracejado) antes de dar seguimento aos ganhos.



Ouro rompe finalmente o suporte dos $1480/onça

O ouro finalmente confirmou a ligeira formação de triângulo descendente, tendo rompido em baixa a zona dos $1480/onça que vinha a fornecer suporte. Por trás disto está a melhoria das perspetivas em torno da guerra comercial. Ambas as partes, EUA e China, indicaram estarem dispostos a retirar tarifas gradualmente, tendo os EUA argumentado que as tarifas serão retiradas na totalidade, no caso de um acordo ser alcançado. Este acontecimento levou o mercado a posicionar-se em ativos de maior risco, afastando-se do refúgio desta matéria-+rima.

Tecnicamente, o metal precioso rompeu os $1480/onça, intensificando a perspetiva bearish. Contudo, só o afastamento do atual nível comprovará que as descidas deverão continuar. O suporte técnico mais próximo a ter em conta fixa-se nos $1440 e de seguida os $1380.


As análises técnicas aqui publicadas não pretendem, em caso algum, constituir aconselhamento ou uma recomendação de compra e venda de instrumentos financeiros, pelo que os analistas e o Jornal de Negócios não podem ser responsáveis por eventuais perdas ou danos que possam resultar do uso dessas informações. Caso pretenda ver esclarecida alguma dúvida acerca da Análise Técnica, por favor contactar a IMF ou o Jornal de Negócios.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI