Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Incerteza na Europa leva Lisboa a cair quase 1%

A negociação nas praças europeias está a ser condicionada pela instabilidade política em Itália, depois de Berlusconi ter retirado o apoio ao actual governo de coligação, levando Mario Monti a anunciar a intenção de se demitir.

Patrícia Abreu pabreu@negocios.pt 10 de Dezembro de 2012 às 10:04
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

A bolsa portuguesa está a ser arrastada pelo sentimento negativo na Europa, com os investidores preocupados com a situação política em Itália, depois de Mario Monti ter anunciado a intenção de se demitir após a aprovação do orçamento. As acções do grupo EDP e da Jerónimo Martins são as que mais penalizam a bolsa nacional. 

O PSI-20 desce 0,98%, para 5.383,01 pontos, com 14 acções em queda, cinco em alta e uma inalterada. Na Europa, a manhã também é marcada por desvalorizações, com os investidores preocupados com os recentes acontecimentos em Itália. O índice pan-europeu Dow Jones Stoxx 600 perde 0,37%, para 278,13 pontos. 

O primeiro-ministro italiano, Mario Monti, comunicou este fim-de-semana ao Presidente da República do país a intenção de se demitir após a aprovação do Orçamento. Esta decisão ocorre após Silvio Berlusconi ter retirado o apoio do seu partido ao governo de Mario Monti. 

Silvio Berlusconi, ex-primeiro-ministro italiano anunciou a intenção de se recandidatar a primeiro-ministro nas eleições de 2013. Perante estes desenvolvimentos, a bolsa italiana lidera as quedas entre as praças europeias, com o índice de Itália a ceder 2,97%. 

Por cá, o grupo EDP é quem mais pressiona a bolsa, com a EDP renováveis a cair 2,59%, para 3,87 euros, enquanto a EDP desce 1,81%, para 2,066 euros. Ainda no sector energético, a Galp cai 0,64%, para 11,67 euros, apesar dos preços do petróleo estarem a negociar em alta nos mercados internacionais. 

Uma nota negativa ainda para o sector financeiro, com o BES a liderar as desvalorizações, com uma queda de 2,28%, para 0,816 euros, enquanto o BCP desliza 1,37%, para 0,072 euros e o BPI perde 1,06%, para 0,841 euros. 

Nas telecomunicações, a PT inverteu a tendência positiva da abertura e segue agora a desvalorizar 0,64%, para 3,562 euros. Já a Sonaecom desliza 0,13%, para 1,491 euros, enquanto a Zon sobe 0,11%, para 2,80 euros, depois de ter recebido uma recomendação positiva na sexta-feira. 

O HSBC actualizou a avaliação que tem para a Zon e para a PT e disse preferir a Zon Multimédia à Portugal Telecom. Ambas demonstram "resiliência" face ao ambiente adverso, mas o negócio da PT deixa-a "mais vulnerável" ao ciclo económico que o País está a atravessar, explicam os analistas. 

A contribuir para as quedas está ainda a Jerónimo Martins. A retalhista cede 0,76%, para 14,41 euros.

Ver comentários
Saber mais PSI-20 EDP Galp PT Zon Sonaecom BCP BES BPI Jerónimo Martins
Mais lidas
Outras Notícias