Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Inflação e abrandamento económico dos EUA são os principais riscos para os mercados

O último Relatório Global de Estabilidade Financeira, do Fundo Monetário Internacional, afirma que o bom desempenho dos mercados accionistas deverá manter-se, sustentado por um crescimento económico sólido. Os riscos são a inflação e a economia americana.

André Veríssimo averissimo@negocios.pt 12 de Setembro de 2006 às 02:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O último Relatório Global de Estabilidade Financeira, do Fundo Monetário Internacional, afirma que o bom desempenho dos mercados accionistas deverá manter-se, sustentado por um crescimento económico sólido. Os riscos são a inflação e a economia americana.

Apesar do bom desempenho verificado este ano, com os mercados dos países industrializados a recuperarem da queda das acções e da volatilidade verificada em Maio e Junho, subsistem riscos, de acordo com o relatório sobre os mercados financeiros do Fundo Monetário Internacional (FMI), hoje divulgado.

Um desses riscos é "a intensificação das pressões inflacionistas", que pode ser provocada por uma nova escalada nos preços dos bens energéticos, levar os bancos centrais a uma política monetária contraccionista, aumentando as taxas de juro mais do que o mercado está a incorporar.

Os "perigos" não ficam por aqui. O FMI alerta também para a hipótese de um abrandamento mais pronunciado da economia americana, acompanhado por uma rápida deterioração do mercado imobiliário.

"Se qualquer um destes – ou outros – riscos de materializarem, as condições podem-se deteriorar nos mercados financeiros", alerta a instituição.

Mas os riscos não ficam por aqui. O FMI chama ainda atenção para a crise de liquidez que poderá emergir em reacção a uma situação de desequilíbrio nos mercados dos novos e complexos instrumentos financeiros, como os produtos estruturados de crédito.

De acordo com as previsões globais de Setembro do World Economic Outlook, o resultado mais provável será a continuação de um crescimento económico sólido e uma inflação contida.

O FMI nota ainda que "os indicadores fundamentais de actividade das empresas continuam sólidos".

Ver comentários
Outras Notícias