Bolsa Investidores à espera da Fed deixam Wall Street em stand-by

Investidores à espera da Fed deixam Wall Street em stand-by

As bolsas dos Estados Unidos seguem em alta ligeira no dia em que se espera que a Reserva Federal abra a porta a uma descida dos juros brevemente.
Investidores à espera da Fed deixam Wall Street em stand-by
EPA
Rita Faria 19 de junho de 2019 às 14:47

As bolsas dos Estados Unidos abriram pouco alteradas esta quarta-feira, 19 de junho, com os investidores em modo de espera antes do final da reunião de política monetária da Reserva Federal.

 

O índice industrial Dow Jones ganha 0,17% para 26.510,18 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq soma 0,14% para 7.965,96 pontos. Já o S&P500 sobe 0,06% para 2.919,79 pontos.

 

A reunião da Fed desta quarta-feira será seguida com especial atenção, já que poderá marcar a inversão definitiva do rumo de normalização dos juros nos Estados Unidos. Ainda que não se esperem alterações na taxa diretora já, o banco central poderá abrir a porta a uma descida brevemente.

 

O comunicado será revelado às 14:00 horas locais (19:00 horas de Lisboa) realizando-se em seguida a habitual conferência com o presidente da Fed, Jerome Powell, cujo discurso será fortemente escrutinado pelo mercado.

 

"As expectativas de um corte em julho continuam elevadas e os investidores vão escrutinar o comunicado para confirmar esse corte no próximo mês", afirma Lukman Otunuga, analista da ForexTime, citado pela Reuters. "Se a Fed soar menos ‘dovish’ do que o esperado ou omitir completamente qualquer sugestão sobre o facto de poder agir no próximo mês, poderá pressiona fortemente os mercados acionistas".

 

Recentemente, o líder da autoridade monetária já admitiu que serão usados os instrumentos necessários para suportar a economia, alimentando a especulação de que a Reserva Federal está disposta a reverter a subida dos juros que iniciou em dezembro de 2015 e anunciar um corte.

 

Essas expectativas ajudaram as bolsas a subir em junho. O S&P500 já ganha cerca de 6% desde o início do mês, estando já muito próximo dos máximos históricos alcançados no início de maio.

 

Na sessão de ontem, os ganhos foram impulsionados também pela garantia do presidente do BCE, Mario Draghi, de que o banco central deverá avançar com novos estímulos à economia, incluindo um corte dos juros.

 

Além disso, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump aumentou as expectativas de progressos na resolução da guerra comercial com a China, com o anúncio de que será realizada uma reunião abrangente com o seu homólogo Xi Jinping à margem da cimeira do G20.

 

Em destaque na sessão seguem os títulos da Adobe, que sobem 3,17% para 285,55 dólares, depois de a empresa ter apresentado resultados que superaram as estimativas dos analistas. Também a TripAdvisor soma 4,4% para 48,32 dólares, depois de a SunTrust Robinson ter melhorado a recomendação para "comprar".




pub

Marketing Automation certified by E-GOI