Bolsa Investidores querem ouvir Powell novamente. Wall Street arranca Março pouco alterada

Investidores querem ouvir Powell novamente. Wall Street arranca Março pouco alterada

As principais praças norte-americanas arrancaram a primeira sessão do mês pouco alteradas, com os investidores a querem novamente ouvir o presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos.
Investidores querem ouvir Powell novamente. Wall Street arranca Março pouco alterada
EPA
Ana Laranjeiro 01 de março de 2018 às 14:38

Jerome Powell volta esta quinta-feira, 1 de Março, a falar, desta vez no Senado. Os investidores estão ansiosos para saber o que vai dizer o líder da autoridade monetária norte-americana dois dias depois de ter estado na Câmara dos Representantes, onde defendeu "mais aumentos graduais" das taxas de juro dos EUA.

Com o mercado a aguardar com expectativa as indicações deixadas por Powell, as praças norte-americanas arrancaram a oscilarem entre perdas muito ligeiras e ganhos igualmente muito ligeiros.

O Dow Jones recua 0,04% para 25.019,51 pontos, o Nasdaq sobe 0,01% para 7.273,402 pontos e o S&P500 aprecia 0,02% para 2.714,47 pontos. Cerca de 15 minutos após a abertura do mercado, o índice Dow Jones estava a descer 0,35% e o Nasdaq recuava 0,42%. Já o S&P500 avançava 0,16%.

Esta é a primeira sessão do mês de Março e Fevereiro ficou marcado por ser um mês algo turbulento em que os investidores estiveram focados na política monetária, concretamente no rumo que as taxas de juro nos EUA vão tomar.

"Tendo passado por um período prolongado de uma inacreditável baixa volatilidade registada em todas as classes de activos, durante grande parte dos [últimos] dois anos, Fevereiro vai ser recordado por [ser o mês] em que a volatilidade finalmente regressou aos mercados", disse o estratega Jim Reid, estratega do Deutsche Bank, citada pela Reuters.

O CBOE Volatility índex, que mede a volatilidade nos mercados no curto prazo, está no nível mais elevado numa semana, tendo atingido os 20,72 pontos.

Além das expectativas em torno do discurso de Powell, o mercado está a digerir os dados da inflação nos EUA. Os dados do Departamento do Comércio, citados pela agência de informação, indicam que os preços no consumidor, medidos através do Índice de Preços para Gastos de Consumo Pessoal (PCE), subiram 0,4% em Janeiro – o que representa a maior subida desde Setembro.

Entre as cotadas norte-americanas, nota para as acções da Apple, que cedem 0,05% para 178,0252 dólares, para os títulos do Facebook, que recuam 0,40% para 177,60 dólares. As acções do banco Goldman Sachs perdem 0,84% para 260,71 dólares e o JPMorgan ganha 0,53% para 116,11 dólares.

(Notícia actualizada às 14:53 com novas cotações dos índices e com as cotações das empresas)

 

 




Saber mais e Alertas
pub